Repositório Digital

A- A A+

Tratamentos superficiais contra a corrosão de armaduras em concreto armado

.

Tratamentos superficiais contra a corrosão de armaduras em concreto armado

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Tratamentos superficiais contra a corrosão de armaduras em concreto armado
Autor Buaszczyk, Gisele
Orientador Ferreira, Jane Zoppas
Data 2009
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Engenharia. Curso de Engenharia de Materiais.
Assunto Engenharia de materiais
Resumo A corrosão das armaduras é um dos problemas mais críticos das estruturas de concreto, podendo comprometer severamente sua capacidade de serviço. Dentre os principais agentes iniciadores do processo corrosivo estão a carbonatação e a entrada de íons agressivos, tais como os íons cloretos. Este trabalho tem como objetivo geral avaliar a influência da tratamentos superficiais a base de tensoativos e de silanos contra a corrosão das armaduras de concreto armado expostas a ação de carbonatos e cloretos. O condicionamento das armaduras de aço CA-50 foi realizado separadamente em soluções de silano BTSE, tensoativo Arkopal- 60 e tensoativo BIO ( sintetizado a partir de bactérias Pseudomonas Fluorescens, presentes na folha da alface) em concentrações de 10% e 100% em massa. Os resultados mostram que o tensoativo BIO forma uma camada adsorvida na superfície da armadura que dificulta o contato do eletrólito com a armadura, assim como a penetração de O2 e de CO2 tanto em presença de carbonatos como de cloretos. A camada adsorvida foi mais homogênea para concentrações de 10% em massa deste tensoativo. Todas as amostras submetidas a ensaios eletroquímicos em meio carbonatado mostraram-se passivadas em meio alcalino. Uma vez a superfície do metal passivada, verifica-se que as amostras tratadas com BIO 10, BIO 100 e BTSE se mostram mais resistentes à dissolução eletroquímica do filme passivador. Em solução carbonatada em presença cloretos, verifica-se que o cloreto ataca o tratamento. Nas amostras BTSE e ARKOPAL ocorre a formação de um filme poroso, instável e não aderente de hematita.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/24764
Arquivos Descrição Formato
000747659.pdf (6.195Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.