Repositório Digital

A- A A+

Eletromiografia de superfície : função neuromuscular e reprodutibilidade do método, uma revisão

.

Eletromiografia de superfície : função neuromuscular e reprodutibilidade do método, uma revisão

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Eletromiografia de superfície : função neuromuscular e reprodutibilidade do método, uma revisão
Autor Silva, Ricardo Costa da
Orientador Pinto, Ronei Silveira
Data 2010
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Educação Física. Curso de Educação Física: Licenciatura.
Assunto Eletromiografia
Fisiologia
Resumo Nas últimas décadas a eletromiografia de superfície (EMG) avançou muito, tanto em número de pesquisas como em seu processo de coleta. Hoje, a EMG é largamente utilizada para avaliação da função neuromuscular em humanos. Esse fato se deve essencialmente pela objetividade, bem como as características do método (não-invasivo). O objetivo do presente estudo foi verificar – por meio de revisão – a reprodutibilidade do sinal EMG, bem como os eventos neurofisiológicos associados à contração muscular. Para obtenção dos dados foram utilizadas duas vias básicas: por meio de livros e artigos – buscados com a ferramenta Scopus utilizando os termos: electromyography, surface electromyography, reliability. A EMG é a representação gráfica das atividades elétricas musculares. O sinal captado tem origem nos potenciais de ação a nível neuromuscular nas proximidades dos eletrodos. Como método, a EMG apresenta uma série de interferências que podem ou não serem amenizadas. Dessas interferências, os fatores que são inalteráveis e interferem no sinal coletado como intrínsecos e extrínsecos os que podem ser atenuados. As variáveis extrínsecas estão intimamente ligadas aos processos metodológicos empregados pelo investigador. Os eletrodos recebem papel central para otimização dos resultados. Seu modelo e estrutura, sua posição, a distâncias entre os eletrodos, o padrão para recolocação são variáveis extrínsecas que confundem o sinal EMG coletado. Um processo fundamental para padronização do tratamento do sinal é a normalização. Esse processo consiste na padronização das coletas e no tratamento do sinal de forma percentual. Assim, fica evidente a necessidade de padronização nos métodos de coleta para uma maior fidedignidade desse processo.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/24918
Arquivos Descrição Formato
000750310.pdf (897.0Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.