Repositório Digital

A- A A+

Possibilidades e dificuldades na articulação entre pesquisa e psicoterapia com adolescentes

.

Possibilidades e dificuldades na articulação entre pesquisa e psicoterapia com adolescentes

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Possibilidades e dificuldades na articulação entre pesquisa e psicoterapia com adolescentes
Outro título Possibilities and difficulties on the articulation between research and psychotherapy with adolescents
Autor Jardim, Adriano Pereira
Oliveira, Manoela Ziebell de
Gomes, William Barbosa
Resumo O objetivo deste estudo foi investigar a relação entre a área de pesquisa em psicologia do desenvolvimento aplicada à adolescência e o campo de atendimento psicoterapêutico com adolescentes. Foi realizada uma revisão de literatura que ressalta a importância da consideração de fatores do desenvolvimento para a prática clínica, e 15 entrevistas com psicoterapeutas (psicólogos e psiquiatras), de diferentes abordagens que descrevem a prática corrente. As entrevistas foram analisadas em 3 etapas sucessivas: descrição qualitativa (tematização), análise indutiva (identificação de temas críticos) e análise crítica (confronto dos temas críticos com a literatura). Os resultados indicaram que os clínicos não utilizam dados de pesquisa na sua prática, e que a atualização de conhecimentos sobre a adolescência ocorre de forma desordenada, no contato direto com os pacientes. Como conseqüência, esses terapeutas demonstram dificuldades para avaliar resultados das intervenções. Essas dificuldades caracterizam o campo psicoterapêutico em um momento de transição, no qual os profissionais tendem a afastar-se das teorias e privilegiar a prática.
Abstract The aim of this study was to inquire the interaction of developmental psychology research on adolescence and the professional field of adolescent psychotherapy. This inquiry included a literary review, which indicated the importance of considering developmental issues in clinical practice, and 15 psychotherapists’ interviews (psychologists and psychiatrists), representing different approaches, about their psychotherapy processes. The analysis was made in three consecutive stages: qualitative description (theme process), inductive analysis (critical themes identification), and critical analysis (comparing critical themes with the literature). The results indicated that therapists have not been using research data in their practices, and that their knowledge about adolescence is updated confusedly, from the direct contact with the patients. Thus, clinicians experience difficulties in evaluating their interventions’ outcomes. Those difficulties portray a psychotherapeutic field in transition, where professionals tend to move away from clear-cut theoretical affiliations towards privileging practical experience.
Contido em Psicologia : reflexão e crítica. Porto Alegre, RS. Vol. 18, n.2 (maio/jun. 2005), p. 215-224
Assunto Adolescente
Pesquisa em psicologia
Psicoterapia
[en] Adolescence
[en] Human development
[en] Psychotherapy
Origem Nacional
Tipo Artigo de periódico
URI http://hdl.handle.net/10183/25677
Arquivos Descrição Formato
000504918.pdf (187.5Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.