Repositório Digital

A- A A+

Avaliação da síndrome metabólica e suas associações com inflamação e função do enxerto em pacientes transplantados renais

.

Avaliação da síndrome metabólica e suas associações com inflamação e função do enxerto em pacientes transplantados renais

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Avaliação da síndrome metabólica e suas associações com inflamação e função do enxerto em pacientes transplantados renais
Autor Alencastro, Mariana Gascue
Orientador Manfro, Roberto Ceratti
Data 2010
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Medicina: Ciências Médicas.
Assunto Estudos transversais
Inflamação
Síndrome X metabólica
Transplante de rim
Resumo Introdução: A doença cardiovascular (DCV) é responsável por elevada mortalidade em pacientes transplantados renais. Entre os fatores de risco para DCV encontram-se a síndrome metabólica (SM) e a inflamação crônica. O objetivo do estudo foi avaliar a freqüência destas condições e suas possíveis associações com a função do enxerto renal em pacientes transplantados. Material e Métodos: Foi realizado um estudo transversal observacional realizado com 200 pacientes transplantados renais com tempo de transplante entre um e dez anos. A SM foi definida pelos critérios do National Cholesterol Education Program's Adults Treatment Panel III (NCEP-ATP III). A inflamação foi avaliada pelo nível sanguíneo da proteína c-reativa (PCR). Foram considerados inflamados os pacientes com PCR maior que 3,4 mg/L. A função renal foi avaliada pela estimativa da taxa de filtração glomerular (TFG), conforme a equação re-expressa Modification of Diet in Renal Disease (MDRD). Resultados: A SM ocorreu em 71 pacientes (prevalência 35,5%). Os pacientes com SM apresentaram valores significativamente aumentados de uréia e PCR e diminuídos da TFG. Inflamação esteve presente em 66 pacientes (prevalência 33%). As médias da circunferência da cintura, índice de massa corporal (IMC) e triglicerídeos (TG) foram significativamente maiores no grupo com inflamação. Foi evidenciada uma associação entre SM e inflamação, 32 (45%) pacientes com SM apresentavam-se inflamados e entre os pacientes sem SM o percentual de inflamados foi de 26,4% (34 pacientes) (P=0,011). Foi encontrada uma esperada associação entre a SM e obesidade (P<0,001) e uma associação estatisticamente significativa entre obesidade e inflamação (P=0,003). Foi evidenciada uma associação entre os estágios da função renal e SM, sendo o percentual de pacientes com SM significativamente maior no grupo de pacientes nos estágios III e IV da DRC. Conclusão: Os dados do estudo permitem concluir que há uma associação significativa entre SM, inflamação e obesidade em pacientes transplantados renais. A implicação clínica dos presentes achados deve ser avaliada em estudos longitudinais correlacionando estes marcadores a desfechos duros tais como perda da função do enxerto renal, mortalidade e eventos vasculares.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/26130
Arquivos Descrição Formato
000756960.pdf (1.467Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.