Repositório Digital

A- A A+

Estudo comparativo da tolerância ao sombreamento de Araucaria angustifolia e Podocarpus lambertii

.

Estudo comparativo da tolerância ao sombreamento de Araucaria angustifolia e Podocarpus lambertii

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Estudo comparativo da tolerância ao sombreamento de Araucaria angustifolia e Podocarpus lambertii
Autor Fagundes, Paula Braga
Orientador Dillenburg, Lucia Rebello
Data 2010
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Biociências. Curso de Ciências Biológicas: Bacharelado.
Assunto Araucaria angustifolia
Podocarpus lambertii
Sombreamento
Resumo Em ambientes florestais, as espécies lidam com grandes variações espaciais e temporais na irradiância, fator considerado como o mais importante para a regeneração e crescimento de árvores nas florestas. Os dois únicos gêneros nativos de gimnospermas do Brasil co-ocorrem na América do Sul desde o Mesozóico, e atualmente, Araucaria angustifolia e Podocarpus lambertii, espécies representantes destes gêneros, coocorrem regenerando-se no sub-bosque da Floresta Ombrófila Mista no Sul do Brasil. Apesar dos inúmeros relatos desta co-existência de longa data, pouco se sabe sobre as semelhanças e as diferenças na ecologia destas duas espécies. Este estudo, realizado em condições de campo na Floresta Nacional de São Francisco de Paula (FLONA), comparou plantas juvenis de P. lambertii e de A. angustifolia quanto aos mecanismos de tolerância ao sombreamento. O estudo foi realizado com indivíduos de A. angustifolia e P. lambertii com alturas entre 25 e 125 cm. Foram selecionadas 20 plantas de cada espécie em diferentes locais do sub-bosque. Os indivíduos selecionados foram marcados e a abertura do dossel acima dos mesmos foi estimada. Em cada planta também foram avaliados o grau de estiolamento e de ramificação caulinar, a massa foliar por área (MFA), a concentração de clorofilas a, b e total e a razão clorofila a/clorofila b. A abertura do dossel, o grau de estiolamento e a ramificação não diferiram significativamente entre as duas espécies. Porém, a MFA, importante indicador de tolerância ao sombreamento, foi significativamente maior em P. lambertii (95,0 g m-2) do que em A. angustifolia, (83,8 g m-2). A razão clorofila a/clorofila b foi menor em P. lambertii, (1,6) do que em A. angustifolia. Estas diferenças apontam para uma maior tolerância de P. lambertii ao sombreamento.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/26170
Arquivos Descrição Formato
000757315.pdf (825.8Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.