Repositório Digital

A- A A+

Suscetibilidade de staphylococcus epidermidis à vancomicina, rifampicina, azitromicina e eritromicina

.

Suscetibilidade de staphylococcus epidermidis à vancomicina, rifampicina, azitromicina e eritromicina

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Suscetibilidade de staphylococcus epidermidis à vancomicina, rifampicina, azitromicina e eritromicina
Autor Theisen, Juliana
Orientador Freitas, Ana Lucia Peixoto de
Co-orientador Antunes, Ana Lucia Souza
Data 2010
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Farmácia. Curso de Farmácia.
Assunto Azitromicina
Eritromicina
Resistência bacteriana a drogas
Rifampicina
Staphylococcus epidermidis
Vancomicina
Resumo Staphylococcus epidermidis é o mais frequente agente responsável por infecções relacionadas a implantes de dispositivos médicos e infecções de corrente sanguínea. Infecções associadas ao S. epidermidis caracterizam-se por sua capacidade em colonizar o polímero de superfície, formando o biofilme. Biofilme é um processo complexo e multifatorial, constituído por células bacterianas aderidas entre si e a uma superfície, envoltas por uma matriz polimérica altamente hidratada, que confere proteção contra a ação do sistema imunológico e dos antimicrobianos dificultando o tratamento da doença. O uso prolongado de antimicrobiano, especialmente na presença de cateter venoso central (CVC), tem gerado um problema de resistência. Assim, este estudo teve como principal objetivo avaliar a resistência em S. epidermidis isolados de amostras clínicas de CVC, frente à vancomicina, à rifampicina, à azitromicina e à eritromicina, através dos métodos de disco difusão (DD) e concentração inibitória mínima (CIM). Entre os agentes mais comumente utilizados para tratar infecções por S. epidermidis resistentes à meticilina (MRSE) estão a vancomicina, a rifampicina, a eritromicina e a azitromicina. Para escolha do antimicrobiano adequado é importante determinar sua suscetibilidade, o que pode ser feito através de diferentes testes laboratoriais. Os testes “in vitro” buscam determinar a suscetibilidade da bactéria a doses usuais através do método de disco difusão, ou determinar a CIM. Estudos têm relatado um aumento sutil da resistência a vancomicina, que não estava sendo percebido pelo uso do teste de disco difusão o que também pode estar acontecendo com outros antimicrobianos. Nossos resultados mostraram que a disco difusão não determina exatamente o nível de resistência, uma vez que as CIMs da maioria das amostras estudadas foram muito elevadas. Embora tenha ocorrido na maioria dos isolados uma correlação entre os resultados de DD e CIM, os níveis de resistência não são mensurados com clareza, quando se utiliza apenas a DD. A preocupação com multiresistência torna importante saber qual o nível de resistência de nossas amostras clínicas. A solução para o problema mundial da resistência antimicrobiana vai além da necessidade de desenvolvimento de novos agentes. Outros fatores também são importantes, tais como o uso prudente dos fármacos existentes, o uso adequado de combinações de antibióticos, o controle e a prevenção da disseminação de organismos resistentes aos antimicrobianos e, principalmente, o monitoramento atento do aumento destas resistências.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/26824
Arquivos Descrição Formato
000758646.pdf (344.8Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.