Repositório Digital

A- A A+

Estudo preliminar da farmacocinética da doxorrubicina e avaliação do ajuste de dose em mulheres com cancêr de mama

.

Estudo preliminar da farmacocinética da doxorrubicina e avaliação do ajuste de dose em mulheres com cancêr de mama

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Estudo preliminar da farmacocinética da doxorrubicina e avaliação do ajuste de dose em mulheres com cancêr de mama
Outro título Preliminary investigation of the pharmacokinetics of doxorubicin and evaluation of dose adjustment in women with breast cancer
Autor Barpe, Deise Raquel
Orientador Froehlich, Pedro Eduardo
Data 2009
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Farmácia. Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas.
Assunto Doxorrubicina
Farmacocinética
Neoplasias mamárias
[en] Chemotherapy
[en] Doxorrubicin
[en] HPLC
[en] Obesity
[en] Pharmacokinetics
Resumo Objetivos: Simular um ajuste de dose em pacientes com sobrepeso e com obesidade que utilizam a doxorrubicina (DOX), que proporcione curvas de concentração plasmática e concentrações máximas (Cmáx) semelhantes às de pacientes com peso normal. Metodologia: Determinou-se as concentrações plasmáticas de DOX em pacientes com câncer de mama após a administração i.v. de 60 mg/m2, com ajuste de dose pelo BSA e com tempo de infusão de 40 minutos (0,66 h). As pacientes foram divididas em três grupos: a) pacientes com peso normal (IMC até 24,9) (n = 3); b) pacientes com sobrepeso (IMC 25,0 – 29,9) (n = 5); c) pacientes com obesidade (IMC acima 30,0) (n = 2). Os tempos de coleta utilizados foram: 0,66, 1,66, 8,66, e 24,66 h. Os perfis farmacocinéticos da DOX foram avaliados após quantificação da DOX através de metodologia por CLAE desenvolvida e validada. Resultados e Discussão: Os parâmetros farmacocinéticos ASC e Cmáx foram analisados por abordagem não-compartimental e compartimental. Em ambas as análises encontraram-se diferenças significativas (α = 0,05) entre os grupos com sobrepeso e com obesidade comparados com o grupo com peso normal para ASC e diferenças significativas entre o grupo com sobrepeso comparado ao grupo de pacientes com peso normal para o Cmáx. Após simulação de ajuste de dose pelo peso e pelo IMC, para as pacientes com sobrepeso e obesas, obtivemos novos valores de ASC e Cmáx. Houve diferenças significativas (α = 0,05) para o grupo de pacientes com sobrepeso comparado ao grupo com peso normal para a ASC e nenhuma diferença significativa entre os grupos estudados para Cmáx. Os percentuais de diferença da ASC e Cmáx do grupo das pacientes com sobrepeso e obesas comparados com o grupo de pacientes com peso normal foram diminuindo quando a dose era ajustada pelo peso e IMC. Conclusões: O ajuste de dose pelo índice BSA, comumente usado na prática clínica, não produz concentrações plasmáticas iguais em grupos de pacientes com peso normal e com sobrepeso, indicando que outros índices devem ser considerados, como peso e IMC.
Abstract Objectives: to simulate a dose adjustment in patients with overweight and obesity using doxorrubicin (DOX), providing plasma concentrations similar to those of patients with normal weight. Methodology: plasma concentrations of DOX were determined in patients with breast cancer after the iv. administration of 60 mg/m2 of DOX, adjusted by the BSA and with an infusion time of 40 minutes (0.66 h). The patients were divided into three groups: (a) patients with normal weight (BMI < 24.9) (n = 3); b) patients with overweight (BMI 25.0 – 29,9) (n = 5); c) patients obese (BMI > 30.0) (n = 2). Samples were collected at 0.66, 1.66, 8.66, and 24,66 h. DOX's pharmacokinetic profiles were evaluated after quantification of DOX using a new HPLC method developed and validated. Results and discussion: pharmacokinetic parameters (AUC and Cmax) were analyzed by non-compartmental and compartmental approaches. Significant differences (α = 0.05) between overweight and obese groups when compared with the normal weight group were found with respect to AUC and significant difference between the group with overweight compared to the patients with normal weight was found for Cmax. After simulating the dose adjustment by weight and by BMI for overweight and obese patients, new values for Cmax ASC were calculated. The new values obtained using both weight and BMI were closer to the normal group than those obtained with the BSA. The percentage of difference of ASC and Cmax of the overweight and obese group compared with the Group of patients with normal weight were lower when the dose was adjusted by weight and IMC. Conclusions: dose adjustment index BSA, commonly used in clinical practice, produced different plasma concentrations in groups of patients with normal weight, overweight, and obese, indicating that other indexes must be considered, such as weight and BMI.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/26892
Arquivos Descrição Formato
000760383.pdf (1.803Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.