Repositório Digital

A- A A+

Eficácia da polimixina B no tratamento de bacteremias por pseudomonas aeruginosa

.

Eficácia da polimixina B no tratamento de bacteremias por pseudomonas aeruginosa

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Eficácia da polimixina B no tratamento de bacteremias por pseudomonas aeruginosa
Autor Kvitko, Carlos Henrique Cezimbra
Orientador Zavascki, Alexandre Prehn
Data 2010
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Medicina: Ciências Médicas.
Assunto Bacteremia
Polimixinas
Pseudomonas aeruginosa
Resumo A Pseudomonas aeruginosa é um dos principais agentes etiológicos de infecções nosocomiais em todo o mundo. A resistência aos antimicrobianos é um problema crescente na prática clínica, particularmente, com P. aeruginosa, devido a múltiplos mecanismos de resistência intrínseca e extrínseca. Como há uma escassez de novos antibióticos para o tratamento de bacilos Gram-negativos, particularmente com ação anti-Pseudomonas, houve a necessidade de resgatar antigos antibióticos, como as polimixinas. Não existem ensaios clínicos randomizados avaliando a eficácia das polimixinas contra as bactérias multirresistentes. Estes sugerem que as polimixinas tenham eficácia aceitável, porém há limitações que impedem de chegar a uma conclusão definitiva, como a co-administração de outros antibióticos e a falta de um grupo controle. Existem alguns estudos comparativos com colistina (polimixina E) e outros antibióticos. Apenas um estudo comparou ambas polimixinas (B e E) com outros antimicrobianos para o tratamento de diversas infecções causadas por Acinetobacter baumannii. As bacteremias são infecções graves com alta mortalidade e vários estudos já demonstraram que quando são causadas por P. aeruginosa a morbi-mortalidade é bastante importante. Neste estudo comparamos a eficácia da polimixina B endovenosa com outros antibióticos para o tratamento de bacteremia por Pseudomonas aeruginosa. Um total de 255 pacientes tiveram pelo menos um episódio de bacteremia, mas apenas 133 pacientes puderam ser incluídos no estudo. Vários pacientes foram excluídos porque foram ao óbito em menos de 48 horas após a coleta das hemoculturas ou receberam menos que 48 horas de tratamento. Pode-se certamente deduzir daí a gravidade deste tipo de infecção. Este estudo é o primeiro acessando a eficácia da polimixina B contra antibióticos comparadores e o primeiro a acessar apenas infecções bacterêmicas. Os pacientes tratados com polimixina B começaram tratamento apropriado mais tarde que o grupo comparador, mas esta variável não foi estatisticamente significativa. Nós também demonstramos que a terapia com polimixina B foi associada a uma maior incidência de toxicidade renal do que os antibióticos comparados (11/45, 24,4% versus 4/88, 4,5%) assim como foi mostrado num recente estudo de coorte comparativo e sugerido em outros estudos anteriores. Nosso estudo mostrou que o tratamento da bacteremia por P. aeruginosa com polimixina B tem menor eficácia, demonstrado por apresentar maior mortalidade hospitalar, comparado com outros antibióticos, 66,7% (30/45) e 28,4% (25/88), respectivamente. O risco de mortalidade hospitalar foi quase o dobro para os pacientes tratados com polimixina B. Embora não demonstrado no nosso estudo, a optimização da dosagem da polimixina B poderia diminuir este efeito prejudicial.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/26903
Arquivos Descrição Formato
000762333.pdf (285.7Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.