Repositório Digital

A- A A+

Analgesia em pós-operatório de toratomias : estudo prospectivo e randomizado

.

Analgesia em pós-operatório de toratomias : estudo prospectivo e randomizado

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Analgesia em pós-operatório de toratomias : estudo prospectivo e randomizado
Autor Leite, André Germano
Orientador Moreira, José da Silva
Data 2002
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Medicina : Pneumologia.
Assunto Analgesia
Bloqueio neuromuscular
Dor pós-operatória
Morfina
Toracotomia
Resumo Introdução: A dor é um importante fator de incremento da morbidade e mortalidade em pacientes submetidos a procedimentos cirúrgicos que incluem toracotomias. Diversos fatores contribuem para que esses pacientes apresentem um alto grau de dor no pós-operatório, entre os quais a secção da pele, músculos e pleura, retração dos músculos e ligamentos pelo afastador de Finochietto, irritação da pleura e nervos intercostais pelos drenos tubulares torácicos e fraturas ocasionais dos arcos costais. O aumento das taxas de morbidade e mortalidade é dado principalmente à respiração superficial decorrente da pouca mobilidade da parede torácica e conseqüente à dor e pela perda da efetividade do principal mecanismo de eliminação de secreções da árvore traqueobrônquica (tosse), resultando em atelectasias, inadequado gradiente ventilação / perfusão, hipoxemia e pneumonia. Uma vez caracterizada a necessidade de atenuação da dor como fator primordial na melhora dos índices de morbidade e mortalidade no período pós-operatório de cirurgia torácica, torna-se imperiosa uma análise das terapêuticas disponíveis na atualidade para tanto. Objetivos: Avaliar a utilização de três diferentes métodos de analgesia: 1. bloqueio peridural com morfina (BPM); 2. morfina parenteral (MP); e 3. bloqueio intercostal extrapleural contínuo com lidocaína” (BIC), em pacientes submetidos a procedimentos que incluíram toracotomias em sua execução, além de analisar o custo financeiro desses métodos. Materiais e métodos: Trata-se de um estudo prospectivo, randomizado, no qual foram analisados 79 pacientes, submetidos a toracotomias, subdivididos de forma aleatória em três grupos, de acordo com a modalidade terapêutica instituída: 25 pacientes no grupo BIC, 29 pacientes no grupo BPM e 25 pacientes no grupo MP. Cada paciente foi observado e analisado por profissionais de enfermagem previamente treinados. As variáveis analisadas foram a dor e a sedação. (quantificadas através de escores e analisadas através do método de Kruskal-Wallis com correção pelo teste de Dunn), além do custo financeiro de cada método e da necessidade de administração de opióides adicionais. Resultados: As variáveis dor e sedação foram obtidas através das seguintes medianas, respectivamente: grupos BIC (2,5 e 0); BPM (4 e 0) e MP (3,5 e 0). O custo financeiro foi de US$ 78,69 para o grupo BIC; US$ 28,61 para o grupo BPM e US$ 11,98 para o grupo MP. A necessidade adicional de opióide foi de 4,2 mg/dia para o grupo BIC; 5,7 mg/dia para o grupo BPM e 10,7 mg/dia para o grupo MP. Conclusões: A intensidade da dor foi significativamente menor no grupo BIC, quando comparado ao grupo MP. Não foram identificadas diferenças significativas de intensidade da dor quando comparados os grupos BIC versus BPM e BPM versus MP. A intensidade de sedação foi significativamente maior no grupo MP quando comparado aos grupos BIC e BPM. Não foram evidenciadas diferenças significativas quanto à sedação entre os grupos BIC e BPM. O custo financeiro do grupo MP foi sensivelmente menor quando comparado aos grupos BIC e BPM. A necessidade adicional de morfina foi significativamente maior no grupo MP, quando comparados aos grupos BIC e BPM.
Abstract Introduction: Pain is an important factor in the increment of morbidity and mortality in patients were submited to surgical procedures, wich include thoracotomies. Several factors contribute for these patients present a high degree of pain in the postoperatory period, among wich the section of the skin, muscles and the pleuraretraction of the muscles and ligaments by the use of the Finochietto ribspreader, pleura and intercostal nerves irritation by the tubular thoracic drains and ocasional intercostal arch fractures. The increase of the morbidity and mortality rates are given mainly by superficial breathing due to the restricted mobility of the chest wall, wich heapens because of the pain and the loss of the main secretions eliminating mechanism of the respiratory system (coughing), resulting in atelectasis, an inadequate ventilation/perfusion gradient, hipoxemia and pneumonia. Once characterized the need to attenuate pain as a main factor to increase morbidity and mortality rates in the postoperative period, an analisis of the modern available therapies urges to be made. Objectives: Evaluate the different analgesic methods: 1. peridural blockage whith morphine (PBM); 2. parenteral morphine (PM); and 3. continuous extrapleural intercostal blockage with lidocaine (CIB) in patients submited to thoracotomy, in spite of analysing the costs of these methods. Material and Methods: This is a randomized, prospective study, where 79 patients submited to thoracotomy were analysed in an aleatoric way in three groups acording to therapy aplied: 25 patients in the CIB group, 29 patients in the PBM group and 29 patients in the PM group. Each patient was observed and analysed by previously trained nursing professionals. The variables analysed were pain and sedation (quantified through scoring tables and analysed through Kurskal-Wallis method and corrected by the Dunn test), besides the financial cost and the need to administrate addicional opioids. Results: The variables pain and sedation were obtained through the following medians, respectivally: CIB (2,5 and 0), PBM (4 and 0) and PM (3,5 and 0). The financial cost was US$ 78,69 for CIB group, US$ 28,61 for PBM group and US$ 11,98 for PM group. The additional need for opioids was 4,2 mg/day for CIB group; 5,7 mg/day for PBM group and 10,7 mg/day for PM group. Conclusions: The intensity of the pain was meaningfully reduced in CIB group when compared to PM group. Considering the variant pain, there was no difference between the CIB versus PBM and PBM versus PM groups. The sedation intensity was meaningfully higher in the PM group when compared to the CIB and PBM groups. No meaningful differences was showed concerning sedation between CIB and PBM groups. PM group cost less when compared to CIB and PBM groups. The additional need for morphine didn’t show differences between CIB and PBM groups, but these last two showed meaningful differences when compared to the MP groups
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/2726
Arquivos Descrição Formato
000375744.pdf (3.602Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.