Repositório Digital

A- A A+

Comparação do nível de ativação muscular entre os exercícios puxada pela frente no equipamento e em barra fixa em duas intensidades distintas

.

Comparação do nível de ativação muscular entre os exercícios puxada pela frente no equipamento e em barra fixa em duas intensidades distintas

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Comparação do nível de ativação muscular entre os exercícios puxada pela frente no equipamento e em barra fixa em duas intensidades distintas
Autor Guedes, Matheus Giacobbo
Orientador Kruel, Luiz Fernando Martins
Data 2010
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Educação Física. Curso de Educação Física: Licenciatura.
Assunto Eletromiografia
Resumo A correta prescrição e acompanhamento do treinamento de força (TF) passa pela apropriada análise e definição de inúmeras variáveis que são determinantes para que os resultados sejam satisfatórios. Entre elas, a seleção dos exercícios durante os diferentes ciclos de treinamento se mostra de essencial importância, pois a partir dela é possível determinar a especificidade de cada exercício, a sobrecarga (a partir da exigência muscular) e a variabilidade de estímulos (também a partir da exigência muscular). Assim, existe a necessidade de que seja claramente definida a participação muscular e o nível de ativação dos músculos nos diferentes exercícios do TF. A partir disso, é possível ordenar ou comparar os exercícios de acordo com a sua exigência muscular, facilitando o processo de seleção dos exercícios no programa de treinamento. Segundo revisão bibliográfica feita no projeto, inexistem comparações ou comprovações científicas de diferenças entre a execução do exercício puxada frontal realizado em barra fixa e em aparelho de força, sendo este exercício bastante utilizado em rotinas de treinamento e testes de esforço físico. Assim, o presente estudo teve por objetivo avaliar a participação muscular através da eletromiografia (EMG) de superfície, dos principais músculos superficiais ativados nos exercícios de puxada em barra fixa e no equipamento de musculação (latíssimo do dorso, bíceps braquial, braquiorradial, peitoral maior esternocostal) nas intensidades de 5 e 10 repetições máximas (RMs). Participaram do estudo 6 homens voluntários, saudáveis e que conseguissem realizar no mínimo 10 flexões em barra fixa com o seu peso corporal. Eles foram avaliados quanto à ativação do sinal EMG nos dois exercícios e intensidades propostos. Os sinais EMG foram normalizados segundo sua ativação (em valores RMS) obtidas em contrações isométricas voluntárias máximas de flexão do cotovelo e adução de ombro, e a carga de cada exercício foi relativa à 5RMs e 10RMs. Para a comparação do nível de ativação muscular nos diferentes exercícios e intensidades foi utilizado o teste ANOVA de dois fatores (exercício X intensidade) com medidas repetidas. Os resultados apresentaram aumento significativo (p < 0,05) da atividade EMG apenas para o músculo peitoral maior esternocostal quando realizado em barra fixa. A partir disso, pode-se sugerir, para uma ativação mais efetiva dos adutores de ombro, a execução da puxada frontal em barra fixa, uma vez que a ativação do latíssimo do dorso se mantém de forma similar em comparação à máquina e a ativação do peitoral maior esternocostal é mais elevada neste movimento.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/27708
Arquivos Descrição Formato
000766465.pdf (303.7Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.