Repositório Digital

A- A A+

Avaliação do paladar de idosos e sua relação com o estado nutricional

.

Avaliação do paladar de idosos e sua relação com o estado nutricional

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Avaliação do paladar de idosos e sua relação com o estado nutricional
Autor Passos, Darlise Rodrigues dos
Orientador Venzke, Janaína Guimarães
Co-orientador Bós, Ângelo José Gonçalves
Data 2010
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Curso de Nutrição.
Assunto Distúrbios do paladar
Estado nutricional
Idoso
Resumo Introdução: Com o envelhecimento ocorre um decréscimo na sensibilidade gustativa podendo ocasionar alterações no padrão de ingestão alimentar e acarretar perda de peso, prejuízo na imunidade e deterioração das condições de saúde do paciente idoso. Entretanto, a prevalência e os fatores associados à hipogeusia, no idoso, ainda não são conhecidos. Objetivos: Avaliar alteração de paladar em uma amostra de idosos, identificando os sabores mais afetados e mais preservados e os fatores potencialmente associados à hipogeusia. Relacionar a função gustativa com o estado nutricional dos participantes e com algumas práticas alimentares observadas neste grupo. Metodologia: Estudo transversal com amostra recrutada no Centro de Lazer e Recreação do Idoso da UFRGS. A avaliação da função gustativa foi feita através de teste validado (taste strips), o qual avalia os quatro sabores: doce, salgado, amargo e ácido. O estado nutricional foi determinado a partir do Índice de Massa Corporal. Além disso, aplicou-se um questionário investigando fatores potencialmente associados à hipogeusia e contendo perguntas acerca dos hábitos alimentares dos indivíduos. Resultados: Foram avaliados 62 idosos (F=84%; M=16%). A prevalência de hipogeusia encontrada foi de 19,4% (n=12). O sabor doce encontrou-se mais preservado e o sabor ácido mais diminuído. Fatores como fumo (p=0,590), prótese dentária (p=0,426) e uso contínuo de medicamentos (p=0,110) não estiveram associados significativamente à diminuição do paladar, da mesma forma que as doenças como hipertensão (p=0,692), diabetes (p=0,258), câncer (p=0,441), hipotireoidismo (p=0,126), asma (p=0,587) e rinite (p=0,117). Detectou-se 58% de sobrepeso, 40,5% de eutrofia e 1,5% de baixo peso, não sendo encontrada associação significativa entre função gustativa e estado nutricional (p=0,397). Cerca de 55% dos idosos apresentaram consumo elevado de sódio e 52% utilizavam sal para temperar a salada. Conclusão: A prevalência de alteração de paladar encontrada no grupo idoso estudado aponta para a necessidade de novos estudos, que avaliem também a relação existente com o estado nutricional e as práticas alimentares dos indivíduos, na tentativa de elucidar questões que permeiam as alterações gustativas e o processo de envelhecimento.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/28186
Arquivos Descrição Formato
000768967.pdf (785.8Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.