Repositório Digital

A- A A+

Mudança na suscetibilidade à hepatite A em crianças e adolescentes de Porto Alegre na última década

.

Mudança na suscetibilidade à hepatite A em crianças e adolescentes de Porto Alegre na última década

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Mudança na suscetibilidade à hepatite A em crianças e adolescentes de Porto Alegre na última década
Autor Krebs, Lenita Diacui Simões
Orientador Silveira, Themis Reverbel da
Data 2010
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Saúde da Criança e do Adolescente.
Assunto Adolescente
Criança
Hepatite A
Prevalência
Suscetibilidade a doenças
[en] Hepatitis A epidemiology
[en] Hepatitis A prevalence
[en] Hepatitis A virus
Resumo Objetivos: Estimar a prevalência de anticorpos contra hepatite A (anti-HAV) em grupo de crianças e adolescentes de laboratório público e privado em Porto Alegre e comparar com estudo realizado na década anterior. Métodos: Entre 2007 e 2008 foi realizado estudo transversal onde foram incluídas, consecutivamente, 465 amostras de soros de crianças e adolescentes entre 1 e 19 anos de idade para determinar a prevalência de anticorpos anti-HAV total. As amostras foram fornecidas por laboratório público (Grupo 1), que atende somente Sistema Único de Saúde, e por laboratório privado (Grupo 2), representando os estratos socioeconômicos mais baixo e mais alto, respectivamente. O teste foi realizado em único laboratório (eletroquimioluminescência - Roche Diagnostics). Resultados > 20 UI/L foram considerados positivos. Resultados: A soroprevalência de anti-HAV no grupo 1 foi de 37,6% e o percentual de positividade aumentou conforme a idade, variando de 19,4% entre 1-4 anos a 54,1% entre 15- 19 anos. No grupo 2, a frequência de anti-HAV foi de 46,1% e foi inversamente relacionada à idade, caindo de cerca de 50,0% nas faixas etárias menores para 29,1% aos 15-19 anos. Houve diminuição significativa na prevalência do anti-HAV nas crianças de 5-9 anos do grupo 1 (P=0,03), quando comparadas com estudo realizado na década de 1990. Conclusões: Os resultados sugerem queda na endemicidade da hepatite A em Porto Alegre na última década e indicam maior suscetibilidade à doença em crianças e adolescentes, principalmente no estrato socioeconômico mais baixo.
Abstract Objectives: To estimate the prevalence of anti-hepatitis A virus (anti-HAV) antibodies in serum samples from children and adolescents obtained at two clinical pathology laboratories (one public, one private) in the city of Porto Alegre, state of Rio Grande do Sul, Brazil, and compare findings to those of a study carried out in the 1990s. Methods: In this cross-sectional study conducted between 2007 and 2008, 465 serum samples obtained from children and adolescents (1-19 years) were consecutively tested to determine the prevalence of total anti-HAV antibodies. Samples were provided by a public laboratory (Group 1) that serves the Unified Health System exclusively, meant to represent the lowest socioeconomic strata, and by a private laboratory (Group 2), meant to represent the higher socioeconomic classes. Tests were performed at a single laboratory using commercially available electrochemiluminescence kits. Antibody levels ≥ 20 UI/L were considered positive. Results: The seroprevalence of anti-HAV in Group 1 was 37.6%. The percentage of anti- HAV reactivity increased with age, ranging from 19.4% in the 1-to-4-year group to 54.1% in the 15-to-19-year group. In Group 2, the overall frequency of anti-HAV positivity was 46.1% and was inversely correlated with age, declining from roughly 50% in the youngest age groups to 29.1% in the 15-to-19 group. Comparison of sample findings to those reported in a 1990s study showed a significant reduction in anti-HAV prevalence among 5-to-9-year-olds in Group 1 (p = 0.03). Conclusions: The results suggest that the endemicity of hepatitis A in Porto Alegre has been declining over the past decade, and that children and adolescents, particularly those in the lowest socioeconomic strata, are more susceptible to the disease.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/28360
Arquivos Descrição Formato
000770365.pdf (827.0Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.