Repositório Digital

A- A A+

Influência da cultivar e do tipo de agricultura na concentração de compostos antioxidantes em óleos de semente de uva

.

Influência da cultivar e do tipo de agricultura na concentração de compostos antioxidantes em óleos de semente de uva

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Influência da cultivar e do tipo de agricultura na concentração de compostos antioxidantes em óleos de semente de uva
Autor Chinazzo, Ícaro Raymundo
Orientador Rios, Alessandro de Oliveira
Data 2010
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Ciências e Tecnologia de Alimentos. Curso de Engenharia de Alimentos.
Assunto Alimento orgânico
Composto fenólico
Oleo de semente de uva
Resumo Diversas são as pesquisas que estudaram a composição e a qualidade nutricional dos rejeitos oriundos das indústrias de vinho e suco de uva. Na semente de uva pode-se encontrar uma grande quantidade de compostos fenólicos, e especificamente, teores significativos de vitamina E, trans-resveratrol e catequinas, porém esses valores variam conforme a cultivar da uva. Atualmente, o consumo de alimentos orgânicos vem aumentando no Brasil, e uma das razões para essa maior demanda são as alegações de tais alimentos serem mais saudáveis. Na literatura, pode-se encontrar uma série de pesquisas que alegam que o tipo de agricultura está diretamente ligada a constituição do alimento. Contudo esse trabalho teve como objetivo realizar a extração do óleo das sementes de rejeito a fim de quantificar e comparar as características físico-químicas e concentrações de antioxidantes (vitamina E, catequinas, trans-resveratrol e compostos fenólicos totais) existentes nos seguintes óleos: óleo de semente de uva convencional da cultivar Isabel (IC), óleo de semente de uva orgânica da cultivar Isabel (IO) e óleo de semente de uva orgânica da cultivar Bordo (BO). As análises físico-químicas indicaram um elevado teor de peróxidos nas amostras, sendo resultado de um longo armazenamento das sementes de uva em condições ambientes. A amostra BO apresentou as maiores concentrações de trans-resveratrol (62,53 μg/100g de óleo) e catequina (40,02 mg/100g de óleo) em relação aos óleos IO e IC. Além disso, o óleo BO também foi o óleo que apresentou o maior teor de fenólicos totais (5,61 mg Ácido de Gálico/g de óleo) indicando ser um óleo mais rico em tais compostos do que as amostras IC (2,85 mg Ácido de Gálico/g de óleo) e IO (5,17 mg Ácido de Gálico/g de óleo). Contudo, para vitamina E o BO apresentou menor concentração (0,115 mg/100g de óleo) em comparação a IO (0,429 mg/100g de óleo), porém superior a IC (0,037 mg/100g de óleo). Avaliando a influência do tipo de agricultura da uva, a amostra IO obteve maiores concentrações de trans-resveratrol, vitamina E e compostos fenólicos totais que a amostra IC, evidenciando que o óleo IO tende a ter maiores concentrações de compostos antioxidantes que o óleo IC.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/28421
Arquivos Descrição Formato
000769977.pdf (1.706Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.