Repositório Digital

A- A A+

Evolução estratigráfica dos depósitos fluviais e deltaicos das formações Serraria e Feliz Deserto da seção jurássico superior-neocomiano da Bacia de Sergipe-Alagoas, propriá-se

.

Evolução estratigráfica dos depósitos fluviais e deltaicos das formações Serraria e Feliz Deserto da seção jurássico superior-neocomiano da Bacia de Sergipe-Alagoas, propriá-se

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Evolução estratigráfica dos depósitos fluviais e deltaicos das formações Serraria e Feliz Deserto da seção jurássico superior-neocomiano da Bacia de Sergipe-Alagoas, propriá-se
Autor Cunha, Thiago Rosa da
Orientador Scherer, Claiton Marlon dos Santos
Data 2010
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Geociências. Curso de Geologia.
Assunto Estratigrafia
Formação feliz deserto
Formacao serraria
Sergipe-Alagoas, Bacia sedimentar de (SE e AL)
Resumo A Bacia de Sergipe-Alagoas é caracterizada por registrar as diferentes fases de fragmentação do Gondwana, apresentando-se com uma história evolutiva bastante complexa. Apesar de ser uma bacia bastante estudada, existem muitas dúvidas e divergências quanto ao arcabouço tectono-sedimentar e aos modelos referentes aos depósitos que representam o início da fase rifte. Este trabalho tem como objetivo o estudo sedimentológico e estratigráfico dos depósitos fluviais e deltaicos das Formações Serraria (topo) e Feliz Deserto, e contextualização dessas unidades dentro do cenário evolutivo do rifteamento. A partir do levantamento de perfis colunares, elaboração de fotomosaicos e a análise de paleocorrentes, foi possível a individualização de quatro associações de fácies para o intervalo estudado: a associação de fácies de canais fluviais entrelaçados, que marca o topo da Formação Serraria; e as associações de fácies de prodelta, de frente deltaica e de planície deltaica pertencentes à Formação Feliz Deserto. Os depósitos fluviais do topo da Formação Serraria apresentam uma paleocorrente consistente para SSE, enquanto os depósitos deltaicos da Formação Feliz Deserto apresentam uma distribuição polimodal de paleocorrentes. A análise e a integração desse conjunto de dados permitiram a construção de modelos paleogeográficos, que auxiliaram no entendimento da evolução da bacia. A pequena espessura, a distribuição unimodal de paleocorrente e a arquitetura deposicional caracterizada por corpos de canais entrelaçados amalgamados, sugerem que a Formação Serraria foi acumulada em um contexto de baixa taxa de criação de espaço de acomodação (baixas razões A/S), associado a uma bacia rasa e ampla. Por sua vez, a grande espessura, a distribuição polimodal da paleocorrente e o predomínio de depósitos lacustres relativamente profundos, indicam que a Formação Feliz Deserto foi acumulada em um contexto de alta taxa de criação de espaço de acomodação (altas razões A/S), possivelmente dentro de sistemas de meio-grábens. Isso permite a interpretação da Formação Serraria como pertencente à fase inicial do rifte (sensu Morley, 2002), e a Formação Feliz Deserto como pertencente ao início da fase de maior subsidência mecânica da bacia (fase inicial do meio-gráben sensu Morley, 2002).
Abstract The Sergipe-Alagoas basin is characterized by the record of different stages during the fragmentation of Gondwana, presenting a rather complex evolutionary history. Despite being a widely studied basin, there are many questions and divergences about the tectonic-sedimentary framework and the models related to deposits which represent the beginning of the rift phase. This paper aims at studying the sedimentology and stratigraphy of fluvial deposits and deltaic deposits of the Serraria (top) and the Feliz Deserto formations, and contextualization of these units within the rifting evolution. Through the construction of columnar sections, photomosaics and paleocurrent analysis, it was possible to individualize four distinct facies associations for the studied interval: the fluvial braided channel facies associations, which mark the top of the Serraria Formation; and the prodelta, delta front and delta plain facies associations belonging to the Feliz Deserto Formation. The fluvials deposits at the top of the Serraria Formation present a consistent paleocurrent to SSE, while the deltaic deposits of the Feliz Deserto Formation present a polimodal distribution of paleocurrents. The analysis and integration of this set data allowed the construction of paleogeographic models, which helped to understand the basin evolution. The thin deposits, the unimodal paleocurrent direction and depositional architecture of braided channel amalgamated bodies suggest that the Serraria Formation was accumulated in a context of low rate of creation of space accommodation (low A/S ratios), associated with a wide and shallow basin. On the other hand, the thick deposits, the polimodal paleocurrent distribution and the predominance of relatively deep lacustrine deposits indicate that the Feliz Deserto Formation was accumulated in a context of high rate of creation of accommodation space (high A/S ratios), possibly within half-graben systems. This allows the interpretation that the Serraria Formation belong to the initial rift phase (sensu Morley, 2002), and the Feliz Deserto Formation is related to the start of a phase with more mechanical subsidence in the basin (early stage of half-graben, sensu Morley, 2002).
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/28600
Arquivos Descrição Formato
000771172.pdf (12.72Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.