Repositório Digital

A- A A+

Fatores prognósticos em transplante pulmonar : a experiência da santa casa de porto alegre

.

Fatores prognósticos em transplante pulmonar : a experiência da santa casa de porto alegre

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Fatores prognósticos em transplante pulmonar : a experiência da santa casa de porto alegre
Autor Machuca, Tiago Noguchi
Orientador Moreira, José da Silva
Data 2010
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Medicina: Pneumologia.
Assunto Complicações pós-operatórias
Prognóstico
Sobrevida
Transplante de pulmão
Resumo Introdução: O transplante de pulmão é considerado tratamento de escolha para alguns casos selecionados de doença pulmonar avançada. Diferentes fatores prognósticos têm sido relatados por centros transplantadores. O objetivo desse estudo é reportar a experiência recente da Santa Casa de Porto Alegre com essa modalidade terapêutica e destacar fatores associados a mortalidade. Métodos: Foi realizada uma análise retrospectiva de 130 pacientes submetidos a transplante pulmonar com doador cadavérico no período entre janeiro de 2004 e julho de 2009. Foram coletados dados do doador, do receptor, do trans e pós-operatório. Resultados: A idade média foi de 53,14 anos, variando entre 8 e 72. Oitenta pacientes (61,5%) eram do sexo masculino. As principais causas de doença pulmonar foram fibrose intersticial 53 (40,7%) e doença pulmonar obstrutiva crônica 52 (40%). A sobrevida atuarial em 1 ano foi de 67,7%. Variáveis correlacionadas com sobrevida foram: idade (p=0,004), distância percorrida no teste de caminhada dos seis minutos (p=0,007), doença arterial coronariana (p=0,001), necessidade de circulação extracorpórea (p=0,02), necessidade de transfusão no intra-operatório (p=0,016), pressão venosa central aumentada 12 e 24 horas pós-transplante (p=0,02 e p=0,001, respectivamente), aumento da pressão capilar pulmonar 24 horas póstransplante (p=0,01); tempo em ventilação mecânica (p<0,01, ponto de corte em 36 horas estabelecido por uma curva ROC), reintubação (p=0,001), tempo de permanência em UTI (p<0,001), complicação abdominal (p=0,003), insuficiência renal aguda com necessidade de diálise (p<0,001), hiperinsuflação do pulmão nativo (p=0,02) e rejeição aguda no primeiro mês (p=0,03). Na análise multivariada, apenas diálise (p=0,004, HR 2,68), tempo em ventilação mecânica (p=0,004, HR 1,002 para cada hora) e reintubação (p=0,003, HR 2,88) permaneceram como preditores independentes de má evolução. Conclusões: A análise de variáveis na população do estudo mostrou que diálise, necessidade de ventilação mecânica por maior período (> 36 horas) e necessidade de reintubação são fatores prognósticos independentes em transplante pulmonar.
Abstract Background: Lung transplantation has been established as current therapy for selected patients with end-stage lung disease. Different prognostic factors have been reported by transplant centers. The objective of the present study is to report recent results from Santa Casa de Porto Alegre with lung transplantation and to search for prognostic factors. Methods: We performed a retrospective analysis of 130 patients who underwent lung transplantation at our institution from January 2004 to July 2009. Donor, recipient, intra and postoperative variables were collected. Results: The mean age was 53.14 years (from eight to 72) and 80 (61.5%) were male. The main causes of end-stage respiratory disease were pulmonary fibrosis 53 (40.7%) and chronic obstructive pulmonary disease 52 (40%). The actuarial 1-year survival was 67.7%. Variables correlated with survival were: age (p=0.004), distance in the six-minute walk test (p=0.007), coronary heart disease (p=0.001), cardiopulmonary bypass (p=0.02), intraoperative transfusion of red blood cells (p=0.016), increasing central venous pressure at 12 and 24 postoperative hours (p=0.02 and p=0.001, respectively), increasing pulmonary capillary wedge pressure at 24 hours (p=0.01); length of intubation (p<0.01, cut off at 36 hours through a ROC curve), reintubation (p=0.001), length of ICU stay (p<0.001), abdominal complication (p=0.003), acute renal failure requiring dialysis (p<0.001), native lung hyperinflation (p=0.02) and acute rejection in the first month (p=0.03). In multivariate analysis, only dialysis (p=0.004, HR 2.68), length of intubation (p=0.004, HR 1.002 for each hour) and reintubation (p=0.003, HR 2.88) proved to be independent predictors. Conclusion: Analysis of variables in our cohort highlighted dialysis, longer mechanical ventilation requirement (> 36 hours) and reintubation as independent prognostic factors in lung transplantation.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/28734
Arquivos Descrição Formato
000771359.pdf (1.277Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.