Repositório Digital

A- A A+

Diretrizes para avaliar a estabilidade do fluxo de valor sob a perspectiva da mentalidade enxuta

.

Diretrizes para avaliar a estabilidade do fluxo de valor sob a perspectiva da mentalidade enxuta

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Diretrizes para avaliar a estabilidade do fluxo de valor sob a perspectiva da mentalidade enxuta
Autor Benetti, Heloiza Piassa
Orientador Saurin, Tarcísio Abreu
Data 2010
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Engenharia. Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção.
Assunto Materiais de construção
Pré-fabricação (Construção civil)
Produção enxuta
[en] Capacity
[en] Lean thinking
[en] Precast
[en] Stability
[en] Value flow
Resumo A necessidade de um nível básico de estabilidade nos fluxos de valor vem sendo enfatizada em diversos estudos, como um pré-requisito para a implantação sustentável de princípios e práticas da produção enxuta (PE). Na visão da PE, a estabilidade é multidimensional, devendo incluir todos os elementos de produção que sejam potenciais fontes de variabilidade excessiva. Nesse contexto, esta pesquisa propõe diretrizes para avaliar a estabilidade de um fluxo de valor sob a perspectiva da PE. Além disso, são propostos indicadores para a avaliação de um fluxo de valor de pré-fabricados para a construção civil. Para tanto, a pesquisa foi conduzida nas seguintes etapas: revisão bibliográfica; estudo de caso exploratório e estudo de caso. A pesquisa foi desenvolvida em uma empresa que produz peças de préfabricado de concreto, destinadas à construção civil. No estudo exploratório, foi possível identificar mecanismos para avaliar a estabilidade do fluxo de valor de uma família de produtos, considerando a estabilidade de mão-de-obra, materiais, máquinas e métodos (4M). No estudo de caso, os mecanismos de avaliação foram aplicados, re-interpretando dados já disponíveis na empresa e gerando novos dados, quando necessário. Com base nos resultados dos estudos de campo, bem como na revisão da literatura, foram identificadas cinco etapas para avaliação da estabilidade de um fluxo de valor: (a) desenvolver um mapa do fluxo de valor do estado (MFV) atual; (b) avaliar a estabilidade e a capacidade dos 4M em cada etapa do fluxo de valor; (c) desenvolver melhorias que contribuem para a estabilidade e capacidade; (d) representar as melhorias no MFV do estado futuro; (e) estabelecer um plano de ação para implantar o novo MFV. Vale salientar que, conforme explicitado nas etapas (b) e (c), a avaliação da estabilidade deve necessariamente ser acompanhada pela avaliação da capacidade, na medida em que não basta que os processos sejam estáveis se não atenderem às metas relativas aos clientes internos e externos.
Abstract The need for a basic level of stability in the value flow has been emphasized in several studies, as a prerequisite for the implementation of sustainable principles and practices of lean production (LP). In view of the lean production, the stability is multidimensional, and should include all the production elements that are excessive variability potential sources. In this context, this research proposes guidelines to evaluate the stability of a value flow from the perspective of lean production. Besides, indicators are proposed for the evaluation of a value stream of prefabricated materials for the building industry. With this aim, the research was conducted in the following steps: bibliographical review; exploratory study and study case. The collection of field data was developed in the company that produces pieces of concrete precast, destinated to for the building industry. In the exploratory study, it was possible to identify mechanisms to assess the stability of the value flow for one product family, considering the stability of manpower, materials, machines and methods (4M). In the case study, evaluation mechanisms were applied, re-interpreting the data already available in the company and creating new data when necessary. Based on field studies results, and literature review, there are identified five steps to evaluate the stability of a value flow: (a) to develop a value stream mapping of the current state (VSM); (b) to evaluate the 4M stability and capacity in each stage of the value flow; (c) to develop improvements that contribute to the stability and capacity, representing them in the VSM future state; (d) to establish an action plan to deploy the new VSM. It is also important to mention that, as explained in steps (b) and (c) the assessment of stability must necessarily be followed by the capacity assessment, because it is not enough that the processes are stable if they do not follow the internal and external customers’ targets.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/28931
Arquivos Descrição Formato
000773521.pdf (1.337Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.