Repositório Digital

A- A A+

Aplicação da Teoria de Resposta ao Item no Questionário de Frequência Alimentar para estimação do Consumo Calórico

.

Aplicação da Teoria de Resposta ao Item no Questionário de Frequência Alimentar para estimação do Consumo Calórico

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Aplicação da Teoria de Resposta ao Item no Questionário de Frequência Alimentar para estimação do Consumo Calórico
Autor Guimarães, Luciano Santos Pinto
Orientador Camey, Suzi Alves
Data 2010
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Matemática. Departamento de Estatística. Curso de Estatística: Bacharelado.
Assunto Estatística aplicada
Nutrição : Estatística e dados numéricos : Brasil
Teoria de resposta ao item
Resumo Introdução: Há na teoria estatística um conjunto de modelos que permitem estimar uma variável não observável através de variáveis observáveis. Esse conjunto recebe o nome de Teoria da Resposta ao Item (TRI). O objetivo principal dessa pesquisa foi encontrar o melhor modelo TRI para estimar o consumo calórico, a partir de um questionário de freqüência alimentar (QFA), selecionando apenas itens alimentares que contribuam para essa estimação. Métodos: O estudo foi baseado numa amostra de 152 gestantes proveniente de usuárias do SUS de dois municípios do estado do Rio Grande do Sul. Para cada item alimentar as respostas das gestantes ao QFA foram dicotomizadas da forma consome/não consome. A partir da Análise de Componentes Principais Focada foram selecionados os itens alimentares correlacionados positivamente com o R24h (método de referência). Com esses alimentos utilizou-se os modelos unidimensionais para itens dicotômicos da TRI para estimar o consumo calórico. Para comparar os resultados da estimação pela TRI foram usado os o gráfico de Bland-Altman e a correlação de Pearson. Resultados: Foram selecionados 19 itens alimentares dos 88 iniciais para a modelagem TRI. O modelo logístico de 2 parâmetros foi o que melhor se adequou aos dados pelo teste da razão de verossimilhança (p<0,001). O coeficiente de correlação de Pearson foi de 0,32 (p<0,001). O viés entre as estimações da TRI e o R24h foi de -14,1 (IC95:-1616,0; 1587,7). Conclusão: A estimação do consumo calórico pela TRI apresentou melhor correlação com a estimativa do consumo calórico medida pelo R24h do que a estimativa do consumo calórico medido pelo QFA da maneira tradicional (r=0,32 e r=0,17). A nova metodologia também reduziu o viés (de 851,32 para -14,1) e a amplitude do intervalo de concordância (de 4859,6 para 3203,7). Isso corrigiu a superestimação encontrada pelo método tradicional do QFA, com redução dos itens empregados, dicotomizando a resposta e sem depender de tabelas nutricionais.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/29125
Arquivos Descrição Formato
000775534.pdf (732.6Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.