Repositório Digital

A- A A+

Moçambique : uma longa caminhada para um futuro incerto?

.

Moçambique : uma longa caminhada para um futuro incerto?

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Moçambique : uma longa caminhada para um futuro incerto?
Autor Matsinhe, Leví Salomão
Orientador Soares, Maria Susana Arrosa
Data 2011
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais.
Assunto Cooperação internacional
Desenvolvimento econômico
Investimento estrangeiro
Moçambique
Relações internacionais
Zonas francas
[en] Economic and social growth in Mozambique
[en] Mega-projects
[en] Special economic free zones in Mozambique
Resumo A trajetória de Moçambique desde a independência, ocorrida em 1975, até 2009 foi marcada pela transição de uma economia centralmente planificada (socialista) para uma economia de mercado (capitalista). A transição para o capitalismo abriu espaço para financiamentos de Ajuda Externa ao Desenvolvimento das Instituições de Bretton Woods (Banco Mundial – BM e Fundo Monetário Internacional – FMI) e Investimentos Estrangeiros Diretos em forma de mega-projetos das corporações multinacionais em Zonas Francas Industriais e Zonas Econômicas Especiais. Entretanto, a aliança da elite nacional como o capital estrangeiro favoreceu a corrupção, a transferência de lucros das multinacionais para os países de origem, fazendo com que a Ajuda Externa ao Desenvolvimento e os Investimentos Estrangeiros Diretos não produzissem desenvolvimento econômico e bem-estar social, com se pretendia que fosse. Este estudo identificou o Ajustamento Estrutural, a Ajuda Externa ao Desenvolvimento, a corrupção e as Zonas Francas Industriais como os principais vilões da situação de pobreza em que Moçambique se encontra e concluiu que Moçambique nunca irá reduzir a pobreza de forma significativa, contando apenas com ajuda externa, mega-projetos, investimentos estrangeiros e ZFI. O que se pensava que seria o remédio para a saída do marasmo do subdesenvolvimento de Moçambique, (portanto, a ajuda, mega-projetos e ZFI) tornou-se um obstáculo ao desenvolvimento do país.
Abstract The trantion from socialism to capitalism characterized the Mozambican trajectory after its independence, held in 1975. This transition gave place to external aid by Bretton Woods (World Bank and International Monetary Fund) and direct investments from multinational corporations mega-projects in special economic free zones. The alliance between the national elite with foreign capital brought corruption, transference of profits from the multinational corporations in Mozambique to its countries of origin. Because of this, the external aid and foreign investments did not develop the Mozambican economy and also did not bring the social well being to the people in Mozambique. This research, identified the structural adjustment, external aid, corruption and special economic free zones as the factories of poverty in Mozambique, and concluded that Mozambique will never reduce poverty looking to external aid, mega-projects, direct foreign investments and special economic free zones. What where thought it was an elixir (mega-projects, external aid, foreign direct investments and special economic free zones) became an obstacle to development.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/29398
Arquivos Descrição Formato
000776514.pdf (1.683Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.