Repositório Digital

A- A A+

Nutrição enteral : diferenças entre volume, calorias e proteínas prescritos e administrados em adultos

.

Nutrição enteral : diferenças entre volume, calorias e proteínas prescritos e administrados em adultos

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Nutrição enteral : diferenças entre volume, calorias e proteínas prescritos e administrados em adultos
Outro título Enteral nutrition : differences between volume, energy and protein prescribed and administered in adults
Autor Assis, Michelli Cristina Silva de
Silva, Stella Marys Rigatti
Leães, Dória Migotto
Novello, Claudine Lazzari
Silveira, Carla Rosane de Moraes
Mello, Elza Daniel de
Beghetto, Mariur Gomes
Resumo Objetivo: Diferentes condições determinam que pacientes críticos recebam volumes, aportes energéticos e protéicos de nutrição enteral menores que o prescrito. O objetivo do presente estudo foi avaliar a diferença entre a nutrição enteral prescrita e administrada a adultos internados em centro de terapia intensiva. Métodos: Durante 30 dias de 2009, pacientes foram acompanhados do início do uso de nutrição enteral até a sua suspensão, ou até a alta do centro de terapia intensiva. Foram usados testes paramétricos e não paramétricos para identificar diferenças entre o prescrito e administrado. Resultados: Foram incluídos 85 pacientes, com 58,6±18,0 anos, sendo 40% do sexo masculino, que permaneceram internados por 29,5 dias (IQ: 15,2 - 48,7) e utilizaram nutrição enteral por 10 (IQ: 4,2 – 27,5) dias. Os pacientes receberam menos volume (-428±243 ml/ dia), calorias (-665±412 Kcal/dia) e proteínas (-30±19 g de proteína/dia) do que prescrito. Quando avaliadas as diferenças diárias entre o prescrito e o administrado para cada paciente, observou-se que cerca de 40% do volume não foi administrado. Os principais motivos para interrupção da dieta foram: náuseas e vômitos, distensão abdominal, constipação e complicações clínicas (52%); realização de procedimentos diagnósticos (41,6%); e transição para via oral (5,6%). Conclusão: Pacientes internados em centro de terapia intensiva recebem menos nutrição enteral que o prescrito. A rotina de cuidados e a ocorrência de complicações do trato gastrointestinal motivam interrupções da nutrição enteral, contribuindo para que pacientes de centro de terapia intensiva recebam menor aporte calórico do que prescrito.
Contido em Revista brasileira de terapia intensiva. Rio de Janeiro. Vol. 22, n. 4, (2010), p. 346-350
Assunto Cuidados de enfermagem
Nutrição enteral
Terapia nutricional
Unidades de terapia intensiva
Origem Nacional
Tipo Artigo de periódico
URI http://hdl.handle.net/10183/29442
Arquivos Descrição Formato
000769274.pdf (166.3Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.