Repositório Digital

A- A A+

Desfecho de pacientes com câncer internados em unidades de terapia intensiva brasileiras com lesão renal aguda

.

Desfecho de pacientes com câncer internados em unidades de terapia intensiva brasileiras com lesão renal aguda

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Desfecho de pacientes com câncer internados em unidades de terapia intensiva brasileiras com lesão renal aguda
Outro título Outcomes of cancer patients admitted to Brazilian intensive care units with severe acute kidney injury
Autor Soares, Marcio
Lobo, Suzana Margareth
Torelly, Andre P.
Mello, Patricia Machado Veiga de Carvalho
Silva, Ulisses V. A.
Teles, José Mário Meira
Silva, Eliezer
Caruso, Pedro
Friedman, Gilberto
Souza, Paulo César Pereira de
Réa Neto, Álvaro
Vianna, Arthur Oswaldo
Azevedo, José Raimundo Araujo de
Vale, Érico de Lima
Rêgo, Leila Rezegue de Moraes
Godoy, Michele Maria Goncalves de
Maia, Marcelo Oliveira
Salluh, Jorge Ibrain Figueira
Resumo Objetivos: Pacientes com câncer criticamente enfermos têm maior risco de lesão renal aguda, mas estudos envolvendo estes pacientes são escassos, e todos em centros únicos e realizados em unidades de terapia intensiva especializadas. O objetivo deste estudo foi avaliar as características e desfechos em uma coorte prospectiva de pacientes de câncer internados em diversas unidades de terapia intensiva com lesão renal aguda. Métodos: Estudo prospectivo multicêntrico de coorte realizado em unidades de terapia intensiva de 28 hospitais brasileiros em um período de dois meses. Foram utilizadas regressões logísticas univariada e multivariada para identificar os fatores associados a mortalidade hospitalar. Resultados: Dentre todas as 717 internações a unidades de terapia intensiva, 87 (12%) tiveram lesão renal aguda e 36% deles receberam terapia de substituição renal. A lesão renal se desenvolveu mais frequentemente em pacientes com neoplasias hematológicas do que em pacientes com tumores sólidos (26% x 11%; p=0,003). Isquemia/choque (76%) e sepse (67%) foram os principais fatores associados à lesão renal, e esta foi multifatorial em 79% dos pacientes. A letalidade hospitalar foi de 71%. Os escores de gravidade gerais e específicos para pacientes com lesão renal, foram imprecisos para predizer o prognóstico nestes pacientes. Na análise multivariada, a duração da internação hospitalar antes da unidade de terapia intensiva, disfunções orgânicas agudas, necessidade de ventilação mecânica e um performance status comprometido associaram-se à maior letalidade. Mais ainda, características relacionadas ao câncer não se associaram com os desfechos. Conclusões: O presente estudo demonstra que internação na unidade de terapia intensiva e suporte avançado à vida devem ser considerados em pacientes selecionados de câncer criticamente enfermos com lesão renal.
Abstract Objectives: Critically ill cancer patients are at increased risk for acute kidney injury, but studies on these patients are scarce and were all single centered conducted in specialized intensive care units. The objective was to evaluate the characteristics and outcomes in a prospective cohort of cancer patients admitted to several intensive care units with acute kidney injury. Methods: Prospective multicenter cohort study conducted in intensive care units from 28 hospitals in Brazil over a two-month period. Univariate and multivariate logistic regression were used to identify factors associated with hospital mortality. Results: Out of all 717 intensive care unit admissions, 87 (12%) had acute kidney injury and 36% of them received renal replacement therapy. Kidney injury developed more frequently in patients with hematological malignancies than in patients with solid tumors (26% vs. 11%, P=0.003). Ischemia/shock (76%) and sepsis (67%) were the main contributing factor for and kidney injury was multifactorial in 79% of the patients. Hospital mortality was 71%. General and renal-specific severity- of-illness scores were inaccurate in predicting outcomes for these patients. In a multivariate analysis, length of hospital stay prior to intensive care unit, acute organ dysfunctions, need for mechanical ventilation and a poor performance status were associated with increased mortality. Moreover, cancer-related characteristics were not associated with outcomes. Conclusions: The present study demonstrates that intensive care units admission and advanced life-support should be considered in selected critically ill cancer patients with kidney injury.
Contido em Revista brasileira de terapia intensiva. Rio de Janeiro. Vol. 22, n. 3 (jul./set. 2010), p. 236-244
Assunto Diálise
Estado terminal
Estudo multicêntrico
Insuficiência renal
Mortalidade
Neoplasias
[en] Acute
[en] Critical illness
[en] Dialysis
[en] Kidney failure
[en] Mortality
[en] Multicenter study
[en] Neoplasms
Origem Nacional
Tipo Artigo de periódico
URI http://hdl.handle.net/10183/29499
Arquivos Descrição Formato
000770012.pdf (170.7Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.