Repositório Digital

A- A A+

Estresse oxidativo e hormônios esteroides na associação entre distúrbios respiratórios do sono e doença aterosclerótica coronariana

.

Estresse oxidativo e hormônios esteroides na associação entre distúrbios respiratórios do sono e doença aterosclerótica coronariana

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Estresse oxidativo e hormônios esteroides na associação entre distúrbios respiratórios do sono e doença aterosclerótica coronariana
Autor Hackenhaar, Fernanda Schäfer
Orientador Benfato, Mara da Silveira
Data 2011
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Biociências. Programa de Pós-Graduação em Biologia Celular e Molecular.
Assunto Apnéia do sono tipo obstrutiva
Aterosclerose
Estresse oxidativo
Ferritina
Testosterona
[en] Atherosclerosis
[en] Ferritin
[en] Obstructive sleep apnea
[en] Ox-LDL
[en] Paraoxonase-1
[en] Testosterone
Resumo Título: Estresse oxidativo e hormônios esteróides na associação entre Distúrbios Respiratórios do Sono e Doença Aterosclerótica Coronariana Introdução: Estudos epidemiológicos mostram a existência de associação entre a Doença Aterosclerótica Coronariana (DAC) e os Distúrbios Respiratórios do Sono (DRS). Evidencias sugerem que o estresse oxidativo gerado pela hipóxia intermitente sofrida pelos pacientes com DRS pode estar relacionado à progressão da DAC. Os hormônios esteróides testosterona, progesterona e estradiol estão relacionados ao estresse oxidativo, e podem ter papel em ambas as doenças. A enzima glutationa S-tranferase utiliza a molécula antioxidante glutationa na detoxificação de compostos que podem ser formados neste processo. A enzima paraoxonase-1 hidrolisa peróxidos lipídicos, atuando sobre as lipoproteínas de baixa densidade oxidadas (ox-LDL). Ox-LDL são marcadores de peroxidação lipídica, e são importantes na formação da placa aterosclerótica. O vaso dilatador óxido nítrico (NO●) é considerado ateroprotetor e pode estar reduzido, agravando a DAC. Objetivos: Estudar o estresse oxidativo e as alterações fisiopatológicas decorrentes da associação entre DRS e DAC, e avaliar a participação dos hormônios esteroides neste processo. Material e Métodos: 56 pacientes com prévio diagnóstico para Doença Aterosclerótica Coronariana (DAC) e avaliação do Índice de Apneias-hipopneias (IAH) para diagnóstico de Distúrbio Respiratório do sono (DRS) foram divididos em dois grupos, 29 pacientes controles e 27 pacientes com DAC, definidos por apresentarem obstrução coronariana >30%. Foram quantificadas as concentrações séricas dos triglicerídeos, HDL, LDL, ferritina, tranferrina e ferro disponível, assim como dos níveis séricos dos hormônios testosterona, estradiol e progesterona, das enzimas paraoxonase-1 e glutationa S-transferase, e das ox-LDL. Foram quantificadas as concentrações de glutationa total, glutationa reduzida, glutationa oxidada e nitritos e nitratos (medida indireta de NO●) em eritrócitos. A concentração do marcador de dano oxidativo em DNA 8-oxo-7,8-dihidro-2’-desoxiguanosina foi obtida em leucócitos. Resultados: Pacientes com DAC possuem reduzida concentração de nitritos e nitratos. A concentração de 8-OHdG, a atividade da GsT, os níveis de glutationa total, glutationa reduzida e glutationa oxidada, assim com o estradiol e a progesterona, não apresentaram relação com DAC ou DRS. Além do IAH, a redução da testosterona e do ferro disponível estão relacionados a DAC. A redução da atividade da paraoxonase-1 e a maior concentração de ox-LDL são preditores de DAC. A testosterona está relacionada à concentração de ferritina, transferrina e ferro disponível nestes pacientes. A ferritina correlacionou-se positivamente ao dano oxidativo em proteínas e com o IAH, negativamente aos níveis de nitritos e nitratos, e é maior nos pacientes com DAC. Conclusão: Baixos níveis de testosterona e ferro disponível, assim com o aumento da ferritina podem estar relacionados à fisiopatologia da associação entre DRS e DAC. Paraoxonase-1 e ox-LDL são importantes preditores de DAC, mas parecem não estar diretamente relacionados ao IAH nestes pacientes.
Abstract Title: Oxidative stress and steroid hormones in the association between Sleep Disordered Breathing and Coronary Artery Disease Introduction: Epidemiological studies have shown a possible association between Coronary Artery Disease (CAD) and Sleep Disordered Breathing (SDB). Evidences suggest that oxidative stress generated by the intermittent hypoxia experienced by patients with sleep disorders may be related to progression of CAD. The steroid hormones testosterone, progesterone and estradiol are related to oxidative stress, and may have a role in both diseases. Glutathione S-transferase uses the antioxidant molecule glutathione in the detoxification of compounds that can be formed in this process. The enzyme paraoxonase-1 hydrolyzes lipid peroxides, acting on oxidized low-density lipoproteins (ox-LDL). Ox-LDL are lipid peroxidation markers, being important for the atherosclerotic plaque formation. The vasodilator nitric oxide (NO●) is considered atheroprotective and can be reduced, aggravating DAC. Objective: Evaluate the oxidative stress and the pathophysiological changes arising from the association between SDB and CAD, and the role of steroid hormones in this process. Material and Methods: 56 patients with prior Coronary Artery Disease (CAD) diagnosis and apnea-hypopnea index (AHI) evaluation for diagnosis of sleep-disordered breathing (SDB) were divided into two groups, 29 control patients and 27 patients with CAD, defined by present a coronary obstruction > 30%. The serum concentration of triglycerides, HDL, LDL, ferritin, transferrin and available iron was obtained, as well as the serum levels of the hormones testosterone, estradiol and progesterone, enzymes paraoxonase-1 and glutathione S-transferase, and ox-LDL. Were measured concentrations of total glutathione, reduced glutathione, glutathione disulfide and nitrites and nitrates (NO● indirect measure) in erythrocytes. The concentration of the 8-oxo-7,8-dihydro-2'-deoxyguanosine, oxidative DNA damage marker, was obtained from leukocytes. Results: CAD patients have reduced concentrations of nitrates and nitrites. The concentration of 8-OHdG, GST activity, levels of total glutathione, reduced glutathione and glutathione disulfide, and estradiol and progesterone, showed no relationship with CAD or SDB. In addition to AHI, the reduction of testosterone and iron available are related to CAD. The reduced activity of paraoxonase-1 and the highest concentration of ox-LDL are CAD predictors. Testosterone is related to the concentration of ferritin, transferrin and iron available in these patients. Ferritin was positively correlated to oxidative damage in protein and with the AHI, and negatively to the levels of nitrites and nitrates, and is higher in CAD patients. Conclusion: Low testosterone levels and iron available, as well as the increase ferritin may be related to the pathophysiology of the association between SDB and CAD. Paraoxonase-1 and ox-LDL are important CAD predictors, but do not seem to be directly related to AHI in these patients.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/29990
Arquivos Descrição Formato
000773234.pdf (1.193Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.