Repositório Digital

A- A A+

As doenças respiratórias ocupacionais causadas pela poeira na armazenagem de grãos vegetais : estudo epidemiológico longitudinal controlado de trabalhadores de grãos do Rio Grande do Sul e avaliação ambiental de seus locais de trabalho

.

As doenças respiratórias ocupacionais causadas pela poeira na armazenagem de grãos vegetais : estudo epidemiológico longitudinal controlado de trabalhadores de grãos do Rio Grande do Sul e avaliação ambiental de seus locais de trabalho

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título As doenças respiratórias ocupacionais causadas pela poeira na armazenagem de grãos vegetais : estudo epidemiológico longitudinal controlado de trabalhadores de grãos do Rio Grande do Sul e avaliação ambiental de seus locais de trabalho
Autor Tietboehl Filho, Carlos Nunes
Orientador Moreira, José da Silva
Data 2004
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Ciências Pneumológicas.
Assunto Epidemiologia analitica
Exposição ocupacional
Pneumologia
Pneumopatias
Poeira
Saúde do trabalhador
Resumo A poeira de grãos de cereais é composta por fragmentos protéicos, microrganismos, material inorgânico e produtos químicos que causam reações irritativas, tóxicas, alergênicas e inflamatórias crônicas nas vias aéres e pulmões. A exposição ocupacional à poeira de grãos está associada com alterações respiratórias agudas e crônicas e com alterações na função pulmonar. Vários estudos epidemiológicos controlados em trabalhadores de armazenagem de grãos demonstram uma prevalência elevada de sintomas respiratórios e uma perda da função pulmonar acentuada quando a exposição é prolongada e intensa. Realizamos a coleta de amostras de poeira respirável nas moegas de silos de grande porte que mostraram baixos níveis de concentração. Não foi analisado o teor de sílica livre das amostras. As partículas da fração respiratória microbiologicamente contaminadas foram coletadas através de um amostrador de Andersen de seis estágios identificando espécies como Aspergillus, Penicilium e Mucor que podem causar patologi respiratória. Foi estudada uma coorte longitudinal de 195 trabalhadores de grãos através de dois cortes transversais com um intervalo de aproximadamente nove anos entre eles. Os trabalhadores foram classificados em dois grupos, um de elevada exposição à poeira (n=102) e outro de baixa exposição (n=93), conforme a atividade ocupacional que desempenhavam. Um questionário de sintomas respiratórios e o teste espirométrico foram aplicados de forma padronizada. Os indivíduos que saíram da coorte (n=99) durante o estudo não apresentavam por ocasião do primeiro corte transversal características diferentes dos que permaneceram (sobreviventes). Foi encontrada uma prevalência aumentada de sintomas respiratórios e de baixos valores de VEF1 e CVF no grupo de alta exposição em comparação aos controles. O grupo de alta exposição apresentou também um declínio mais rápido da função pulmonar durante o período da coorte independente do hábito tabágico. Recomenda-se através de programas de saúde pública a prevenção primária e secundária dos efeitos respiratórios da exposição à poeira de grãos.
Abstract The cereal grain dust is composed by fractured grain kernels, microrganisms, inorganic matter and chemicals that induce irritant, toxical, allergenic and chronical inflammatory effects in the airways and the lungs. Grain dust exposure in occupational settings has been associated with both acute and chronic respiratory abnormalities. Several cross-sectional studies of grain elevator workers have shown a high prevalence of respiratory symptoms and pulmonary function loss. We did the sample collection of respirable dust in the receiving areas of grain elevators that showed low levels of respirable dust. The free silica content of those samples was not measured. The viable particles in the respiratory range were sampled by a six-stage Andersen sampler identifying fungi species potentially allergenic or pathogenic in the receiving areas of grain elevators. We studied a longitudinal cohort of 195 grain elevator workers by two cross-sectional surveys with a nine-year interval between them in 15 silos of Rio Grande do Sul, Brazil. Grain workers were classified in two populations: a highly exposed (n=102) and a low level exposed group (n=93) according to their job categories A questionnaire of respiratory symptoms and spirometry tests were applied in a standardized way. The individuals who dropped out (n=99) had not significantly different characteristics from the survivors at the end of the survey. We found more respiratory symptoms and low FEV1 and FVC values in the highly exposed group compared to the less exposed group. The highly exposed group had also a more rapid (annual) longitudinal decline of pulmonary function irrespective of smoking status The primary and secondary prevention of the respiratory effects of grain dust exposure are recommended.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/31872
Arquivos Descrição Formato
000785341.pdf (2.401Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.