Repositório Digital

A- A A+

Mandinga, malícia e manha por uma cosmopolítica angoleira

.

Mandinga, malícia e manha por uma cosmopolítica angoleira

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Mandinga, malícia e manha por uma cosmopolítica angoleira
Autor Poglia, Marco Antonio Saretta
Orientador Silva, Sergio Baptista da
Data 2010
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Curso de Ciências Sociais: Bacharelado.
Assunto Antropologia social
Capoeira Angola
Cultura afro-brasileira
[fr] Capoeira Angola
[fr] Corporalité
[fr] Cosmopolitique
[fr] Devenir
[fr] Machine de guerre
[fr] Résistence
Resumo A Capoeira Angola é uma manifestação cultural afro-brasileira que reivindica uma estética própria intimamente ligada a uma matriz de pensamento africana. A concepção nativa do ser capoeirista envolve uma filosofia política, que é também uma cosmopolítica agentiva, na medida em que coloca em jogo propriedades cosmológicas afro-brasileiras constitutivas do mundo a partir da (e com a) Capoeira Angola. Nesse sentido, ser capoeirista é assumir uma posição contra o Estado, na medida em que propicia novas condições de existência e possibilita a emergência de processos de subjetivação. Esta forma de se colocar e agir no mundo, a qual chamei, com Deleuze e Guattari, de máquina de guerra, pressupõe assim a construção de uma subjetividade e uma corporalidade angoleiras.
Résumé La Capoeira Angola est une manifestation culturelle afro-brésilienne qui réclame une esthétique propre étroitement liée à une matrice de pensée africaine. La conception native d’être capoeiriste comprend en jeu um philosofie politique, qui et aussi une cosmopolitique agentive, une fois que met en jeu des proprietés cosmologiques afrobrésiliennes constitives du monde à partir de la (e avec la) Capoeira Angola. Dans ce sens, être capoeiriste est assumer une position contre l’État, puisque cela rend possible de nouvelles conditions d’existence ainsi que l’émergence de processus de subjetivation. Cette manière de se mettre et d’agir sur le monde, à laquelle j’appelle, ainsi que Deleuze et Guatarri, de machine de guerre, préssupose ainsi la construction d’ une subjectivité et d’ une corporalité angolaises.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/31985
Arquivos Descrição Formato
000785682.pdf (6.366Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.