Repositório Digital

A- A A+

Efeitos de três diferentes programas de treinamento de força na qualidade de vida de idosas

.

Efeitos de três diferentes programas de treinamento de força na qualidade de vida de idosas

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Efeitos de três diferentes programas de treinamento de força na qualidade de vida de idosas
Autor Moraes, Kelly Cristina de Mello
Orientador Gaya, Adroaldo Cezar Araujo
Data 2011
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Educação Física. Curso de Educação Física: Bacharelado.
Assunto Envelhecimento
Idoso
Treinamento de força
[en] Aging
[en] Elderly resistance training
[en] Quality of life
[en] Strength training
Resumo O processo de envelhecimento populacional está acontecendo em vários países. O conceito de envelhecimento abrange um conjunto de alterações que ocorrem progressivamente na vida adulta e que parecem estar associados com, a viabilidade do indivíduo. Nesta perspectiva, alguns estudos relacionam a atividade física regular, sistemática, com o processo de envelhecimento saudável, principalmente quanto ao seu impacto na qualidade de vida de idosos. Estudos revelam que o treinamento de força é essencial para o equilíbrio, para subir e descer escadas, para sentar e levantar de cadeiras, para a diminuição do risco de quedas, para a aquisição da capacidade funcional geral e para a mobilidade dos idosos. De certa forma, para a realização destas tarefas diárias, são necessários níveis moderados de força muscular, e esta passa a adquirir uma importância cada vez mais acentuada com o envelhecimento. Entretanto, aliado ao treinamento de força, o treinamento de potência e o treinamento de força reativa também contribuem para a promoção da qualidade de vida da terceira idade. Assim, o objetivo do presente estudo foi identificar se há diferenças nos efeitos provocados por três tipos de treinamento de força na qualidade de vida das idosas submetidas a doze semanas de treinamento de força. Participaram do programa de treinamento 45 indivíduos do sexo feminino, com idade entre 60 e 75 anos, divididas aleatoriamente no grupo experimental, composto por 34 idosas, posteriormente divididos em três diferentes programas de treino de força: treino força tradicional (TFT), treino de potência (TP) e treino de força reativa (TR), e o grupo controle (GC), composto por onze idosas. A qualidade de vida foi avaliada através do questionário WHOQOL-OLD em conjunto com o WHOQOL-BREF, elaborado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e validado pelo Departamento de Psiquiatria e Medicina Legal da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. As avaliações da força reativa, da hipertrofia e da potência foram realizadas através do teste de sentar e levantar, teste de uma repetição máxima (1RM) e pela mensuração de torque e a aquisição do sinal EMG. Após doze semanas de treinamento os resultados obtidos apontam para um aumento significativo dos valores médios das variáveis: força máxima (todos os treinos), sentar e levantar (TR) e tempo de reação (TP e TR) comparativamente ao grupo controle (p<0,05). Apesar destas melhores associadas a cada um dos tipos de treinamento de força, não foram encontradas diferenças estatisticamente significativas entre os valores médios dos domínios da qualidade de vida entre os três grupos de treinamento e o grupo controle. Portanto, o resultado do presente estudo sugere uma melhora da capacidade funcional de mulheres idosas submetidas a três diferentes programas de treinamento comparativamente ao grupo controle, contudo mais estudos são necessários para a percepção do efeito de treinos específicos de força nas nos diferentes domínios da qualidade de vida na população de mulheres idosas.
Abstract The process of population aging is happening in various countries. The concept of aging encompasses a set of progressive changes that occur in adulthood and appear to be associated with the viability of the individual. In this perspective, some studies have linked regular physical activity with the process of healthy aging, especially regarding their impact on quality of the elderly life. Studies have shown that strength training is essential for balance, to get mobility on stairs, to sit and rise from chairs, to reduce the falls’ risk, to acquire a functional capacity and mobility at the elderly age. Somehow, to perform these daily tasks, are required moderate levels of muscular strength, and this activity get more at the elderly age. However, the combination of strength and power training also contributes to the promotion of quality of life of seniors. Base on this, the objective of this study was to identify whether there are differences in the effects caused by three types of strength training on quality of life of older people undergo twelve weeks of training. The participants of the training program were 45 females, with the age between 60 and 75 years old. The individuals were randomly divided into two groups: experimental group, with 34 elderly, further divided into three different strength training programs: traditional strength training (TFT), power training (PT) and reactive strength training (TR) and the control group (CG), composed of eleven elderly. Quality of life was assessed using the WHOQOL-OLD in conjunction with the WHOQOL-BREF, prepared by the World Health Organization (WHO) and validated by the Department of Psychiatry and Forensic Medicine, Federal University of Rio Grande do Sul. The evaluations of reactive power, hypertrophy and power were performed using the test sitting and standing, the one repetition maximum (1RM) and the measurement of torque and EMG signal acquisition. After twelve weeks of training, the results indicate a significant increase in mean values of variables: maximum force (all physical training), sitting and standing (TR) and reaction time (PT and TR) compared to the control group (p <0.05). Despite these improvements associated with each type of strength training, we found no statistically significant differences between mean values of the domains of quality of life among the three training groups and the control group. Therefore, the results of this study suggests an improvement in functional capacity of elderly women subjected to three different training programs compared to the control group, but more studies are needed to perceive the effect of specific strength training in the different domains of quality of life in elderly women population.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/32421
Arquivos Descrição Formato
000786543.pdf (778.6Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.