Repositório Digital

A- A A+

Os alunos deficientes visuais nas aulas de educação física : há inclusão para esses corpos?

.

Os alunos deficientes visuais nas aulas de educação física : há inclusão para esses corpos?

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Os alunos deficientes visuais nas aulas de educação física : há inclusão para esses corpos?
Autor Castro, Crissia Andrea Hoffmann de
Orientador Freitas, Claudia Rodrigues de
Data 2009
Nível Especialização
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Educação. Curso de Especialização em Educação Especial e Processos Inclusivos.
Assunto Deficiência visual
Educação especial
Educação física
Inclusão escolar
Resumo O objetivo desse estudo teórico, acerca da Deficiência Visual e da Inclusão de alunos portadores de cegueira ou visão subnormal nas aulas de Educação Física, é apresentar um retrospecto histórico, bem como os principais conceitos relacionados e os processos de adaptações em tal disciplina para o atendimento dessa população. Nesta monografia, foram apontados como principais aspectos: o corpo dentro de um contexto social e histórico, definido através do termo Corporeidade, e situado na Sociedade Brasileira. A Deficiência Visual, por sua vez, é "portadora" de conceitos, classificações e especificidades. As atividades físicas para DV devem ser adaptadas em seus processos de ensino-aprendizagem e, também, a importância de se exercitar, tanto a falta de visão, como um melhor aproveitamento dos sentidos remanescentes. Outro ponto mencionado é a importância e a necessidade de se trabalhar o corpo dentro da escola, podendo valer-se da disciplina de Educação Física, situada historicamente, que se relaciona com as outras disciplinas e é facilmente adaptável. No tempo e no espaço escolar, o corpo é, em Educação Física, o "objeto" de trabalho, podendo trazer algumas inquietações e possíveis confusões. A intervenção pedagógica faz-se necessária para a inclusão eficaz dessa população nas aulas. Para tanto, é necessário que se tenha uma avaliação dessas PPDV, para, então, pensar no processo de interação na escola regular. Já, no tempo e o espaço não escolar, a temática que envolve o lazer e cultura da criança, remete a questionamentos de tal ordem: qual seria a importância do corpo para a produção de uma "Identidade", ou se os espaços físicos da escola exercem influência no comportamento dos alunos, e ainda ficam "Contradições" que permeiam o espaço e tempo escolar e não escolar. Considerando a relevância dos dados apresentados, seria interessante a realização de uma pesquisa de campo, mapeando as escolas, os alunos, os professores e os processos de aprendizagem e adaptações que se fazem presentes para a inclusão de alunos deficientes visuais nas aulas de Educação Física.
Tipo Trabalho de conclusão de especialização
URI http://hdl.handle.net/10183/33291
Arquivos Descrição Formato
000726062.pdf (275.8Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.