Repositório Digital

A- A A+

As artes de trabalhar e educar : um estudo junto a trabalhadores da Atenção Básica em Saúde

.

As artes de trabalhar e educar : um estudo junto a trabalhadores da Atenção Básica em Saúde

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título As artes de trabalhar e educar : um estudo junto a trabalhadores da Atenção Básica em Saúde
Autor Cargnin, Daiana Rozi Mello
Orientador Tittoni, Jaqueline
Data 2011
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Psicologia. Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social e Institucional.
Assunto Educação
Educação permanente
Intervenção
Pesquisa
Saúde
Trabalho
[en] Health work
[en] Health‟s permanent education
[en] Photographic intervention
[en] Research-intervention
[en] Subjectification
Resumo O presente estudo buscou problematizar as possibilidades de produção de novas formas de educar e de trabalhar em saúde a partir do dispositivo da educação permanente em saúde. A confecção do objeto de investigação originou-se da perspectiva de que o trabalho e a educação em saúde são dispositivos de afirmação-resistência do modo de sujeição capitalista que enuncia quem é um “bom trabalhador” e que determina e legitima os sujeitos que possuem saberes sobre o trabalho. A questão que orientou o estudo foi: como a educação permanente se torna dispositivo estratégico para o trabalho no/do Sistema Único de Saúde? Este estudo foi realizado junto ao Ambulatório Básico, um serviço da rede pública de saúde do Município de Porto Alegre. Os participantes da pesquisa foram as trabalhadoras do ambulatório, as técnicas de enfermagem e a enfermeira. A proposta metodológica deste estudo é orientada pela Pesquisa Intervenção, ancorada na Análise Institucional. Compondo essa metodologia utilizamos a Intervenção Fotográfica que incluiu oficinas de fotografias e de confecção de uma câmera artesanal, Pinlux, e em seguida, a produção de fotografias pelas trabalhadoras. O momento das oficinas reconfiguram a dinâmica das reuniões centradas na chefia e com uma pauta administrativa para o movimento de produção e trocas de saberes. O processo do grupo evidência o (não) lugar do Ambulatório Básico e as fragilidades desse serviço; a tecnologia do trabalho em saúde na tensão com os saberes produzidos pelas técnicas de enfermagem no fazer do seu trabalho; e a gestão dos espaços, das tecnologias do trabalho em saúde e dos saberes produzidos no cotidiano. A partir desse estudo, vislumbramos a educação permanente em saúde tensionada pela formação permanente em saúde que evoca os saberes do trabalhados acerca da atividade e gestão dos micro espaços do trabalho.
Abstract This study sought to problematize the production possibilities of new ways of educating and working in health through the health‟s permanent education device. The confection of the investigation‟s object originated from the perspective that health work and education are affirmation-resistance devices of the capitalist subjugation mode, which tells who is a “good worker” and determines and legitimates they who own knowledge over work. The study‟s guiding question was: how permanent education becomes a strategic device for the work on/of the Sistema Único de Saúde, problematized from the Basic Ambulatory Unit staff‟s experience? This study was done with the Basic Ambulatory Unit, more specifically, area eight, a public health service from the city of Porto Alegre. The research‟s participant people were this Unit‟s workers, the Infirmary Technicians and the Nurse. Interventional research, based in Institutional Analysis, orients this study‟s methodological proposal. Compounding this methodology, we utilized the Photographic Intervention, which included photography and a camera confection workshops, Pinlux, and afterwards, the production of photographs by the workers. The workshop‟s moment reconfigures the dynamic of the meetings centered on the leaders and with administrative subject for the idea of production and knowledge exchanges. The group‟s process shines a light on the (non) role of the Basic Ambulatory Unit and the fragilities of this service; the labor‟s technology in health against the knowledge generated by the Infirmary Technicians through their work; and the management of the spaces, the labor‟s technology in health and the knowledge produced every day. Through this study, we glimpse the permanent education in health tensioned by the permanent formation in health that evokes the work‟s knowledge around the activity and management of the work‟s micro-spaces.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/33361
Arquivos Descrição Formato
000788802.pdf (2.141Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.