Repositório Digital

A- A A+

Polêmica velada : uma leitura de Memórias Póstumas de Brás Cubas como resposta ao Primo Basílio

.

Polêmica velada : uma leitura de Memórias Póstumas de Brás Cubas como resposta ao Primo Basílio

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Polêmica velada : uma leitura de Memórias Póstumas de Brás Cubas como resposta ao Primo Basílio
Autor Razera, Gisélle
Orientador Sanseverino, Antônio Marcos Vieira
Data 2011
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Letras. Programa de Pós-Graduação em Letras.
Assunto Assis, Machado de 1839-1908. Memórias póstumas de Brás Cubas
Crítica literária
Literatura brasileira
Literatura comparada
Literatura portuguesa
Queiroz, Eça de 1845-1900. O primo Basílio
Romance
[en] Eça de Queirós
[en] Influence
[en] Machado de Assis
Resumo Este trabalho é o resultado de uma comparação entre dois romances da Língua Portuguesa: O primo Basílio, de Eça de Queirós, publicado em 1878 e Memórias póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis, publicado em livro no ano de 1881. A pesquisa partiu das críticas feitas por Machado ao romance de adultério queirosiano (veiculadas em 16 e 30 de abril de 1878 no Cruzeiro) e buscou investigar a possível influência de Eça de Queirós e das concepções realistas de Emile Zola na reformulação estilística machadiana. Nas páginas do Cruzeiro, Machado externou opinião contrária ao método de composição usado por Eça de Queirós em O primo Basílio e também se manifestou antagônico a alguns pressupostos do Realismo. Considerando a concepção de angústia da influência, proposta por Harold Bloom e o conceito de polêmica velada formulado por Mikhail Bakhtin, postula-se que, ao escrever as Memórias póstumas de Brás Cubas, Machado de Assis praticou alguns dos movimentos revisionários descritos por Bloom, operando reparos em pontos do método de composição que julgou falhos em O primo Basílio e, por intermédio de Brás Cubas, questionou alguns dos pressupostos da representação realista zoliana.
Abstract The present work is the result of a comparison between two Portuguese language novels: Eça de Queirós’ O primo Basílio, (1878) and Machado de Assis’ Memórias póstumas de Brás Cubas, published in book form in 1881. The study originated from Machado’s critique of Queirós’ novel of adultery (which appeared on 16 and 30 April, 1878 in Cruzeiro magazine) and sought to investigate the possible influence of Eça de Queiros and the Realism of Emile Zola on Machado’s stylistic reformulation. In the pages of Cruzeiro, Machado expressed his opinion in opposition to the compositional method used by Eça de Queirós in O primo Basílio and to some of the assumptions of Realism. In the light of Harold Bloom’s concept of the anxiety of influence and Mikhail Bakhtin’s concept of veiled polemic, it is postulated that in writing Memórias póstumas de Brás Cubas, Machado de Assis made use of some revisionary movements described by Bloom, making repairs to points in the composition method that he thought defective in O primo Basílio and, through the narrator Brás Cubas, questioning some of the assumptions of Zola’s Realist mode of representation.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/33374
Arquivos Descrição Formato
000789629.pdf (969.3Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.