Repositório Digital

A- A A+

Dizendo-se autoridade : polícia e policiais em Porto Alegre, 1896-1929

.

Dizendo-se autoridade : polícia e policiais em Porto Alegre, 1896-1929

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Dizendo-se autoridade : polícia e policiais em Porto Alegre, 1896-1929
Autor Mauch, Cláudia
Orientador Schmidt, Benito Bisso
Data 2011
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em História.
Assunto História da polícia
História de Porto Alegre
História social
Policiais
Porto Alegre (RS)
Primeira República
Segurança pública
[en] First republic
[en] Police
[en] Police authority
[en] Police work
[en] Porto Alegre
[en] Social history
Resumo Este trabalho é uma história da polícia e dos policiais nas décadas que se seguiram à proclamação da República no Brasil. A pesquisa reconstitui as práticas do policiamento na cidade de Porto Alegre, capital do estado do Rio Grande do Sul, entre 1896 e 1929, no entrecruzamento entre a polícia projetada pelos governantes republicanos e as experiências dos homens que exerceram diretamente esta atividade. A partir de fontes produzidas pelas próprias instituições policiais (registros de ocorrências, fichas de pessoal e inquéritos administrativos movidos contra policiais, entre outras) investigo quem eram, como viviam, trabalhavam e lidavam com a autoridade a eles atribuída os policiais - grupo ocupacional marcado pela ambígua condição de agentes da dominação estatal recrutados no meio social que deveriam controlar. Minha hipótese é que sua autoridade era constantemente reinventada e seus sentidos atualizados contextualmente, no âmbito das interações sociais. A dominação que os policiais exerciam ou pretendiam exercer, portanto, não dependia unicamente de seu mandato legal, embora não existisse sem ele.
Abstract This study is a history of the police and the policemen in the decades that followed the establishment of republican regime in Brazil. The research reviews the practices of policing in the city of Porto Alegre (capital of the state of Rio Grande do Sul), from 1896 to 1929, in the intersection between the police, as projected by republican leaders, and the experiences of the men who exercised this activity directly. Based on sources produced by the police institutions themselves (incident reports, personnel files and cases against police officers, among others), I ask who were the policemen, how they lived, worked and dealt with the authority ascribed to them. Policemen formed an occupational group marked by an ambiguous condition: they were agents of state domination recruited in the social environment that should control. My argument is that the senses of his authority were constantly reinvented. The domination that policemen exercised or intended to exercise, therefore, did not depend only from its legal mandate, but did not exist without it.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/34692
Arquivos Descrição Formato
000791411.pdf (8.157Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.