Repositório Digital

A- A A+

Qualidade de vida em idosos

.

Qualidade de vida em idosos

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Qualidade de vida em idosos
Outro título Quality of life in older adults
Autor Trentini, Clarissa Marceli
Orientador Fleck, Marcelo Pio de Almeida
Data 2004
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas : Psiquiatria.
Assunto Escalas de graduação psiquiátrica
Idoso : Psicologia
Indicadores básicos de saúde
Indicadores de saúde
Qualidade de vida
Resumo Introdução: Esta tese de doutorado é mais uma contribuição do Grupo de Qualidade de Vida (Centro Brasileiro) do Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas: Psiquiatria, da UFRGS. Esse grupo têm trabalhado em projetos transculturais de elaboração de instrumentos de qualidade de vida (QV) sob a coordenação da Organização Mundial de Saúde. Entre os instrumentos genéricos de QV já desenvolvidos estão o WHOQOL-100 e o WHOQOL-Bref e entre os instrumentos específicos, para populações especiais, estão o WHOQOL-HIV, o WHOQOL-SRPB e, mais recentemente, o WHOQOL-OLD. O desenvolvimento de uma escala de QV para idosos é especialmente importante tendo em vista especificidades deste grupo etário, bem como o aumento da proporção de idosos na população mundial. Objetivos: O objetivo maior deste estudo é desenvolver uma escala de QV para idosos (WHOQOL-OLD). Entretanto, como trata-se de um processo com longa duração de tempo, foram gerados objetivos específicos a partir da revisão da literatura e coleta de dados, que deram origem a 5 artigos, cada um com sua proposta, a saber: artigo 1. Apresentar a metodologia utilizada e os resultados dos grupos focais para avaliação de QV do idoso, artigo 2. Identificar variáveis relevantes na QV de pessoas idosas, artigo 3. Investigar a relação da percepção de QV do idoso com a percepção de QV do idoso na opinião de seu cuidador, artigo 4. Investigar variáveis associadas com percepção subjetiva de saúde em idosos internados e artigo 5. Pesquisar um possível viés nas respostas de idosos no Inventário de Depressão de Beck (BDI). Métodos: O primeiro estudo teve um desenho qualitativo enquanto os demais foram quantitativos. As amostras variaram para cada estudo. Em todos os estudos idosos(as) acima de 60 anos foram entrevistados. Para os estudos 1 e 2, a amostra contou com profissionais da área da saúde (1) e cuidadores (1 e 2). E, para o estudo 5, adultos acima de 18 anos também foram pesquisados. A coleta dos dados foi realizada em hospitais, lares e grupos comunitários, residências e recrutamento utilizando a técnica de "snow-ball" (bola de neve) em que cada sujeito indicava um outro sujeito. Todos os entrevistados preencheram o Termo de Consentimento Informado e, a partir daí, foram convidados a responder acerca de informações sociodemográficas, QV percebida (WHOQOL-100) e sintomatologia depressiva (BDI), com pequena variação para os cuidadores. O último estudo contou apenas com os dados sociodemográficos e com as respostas ao BDI. Resultados: De forma abreviada, os resultados dos 5 artigos confirmam as especificidades do idoso e portanto a necessidade de desenvolvimento de instrumentos específicos para esta população. O artigo 1 teve como resultado a sugestão de novos itens para idosos, a partir das respostas espontâneas e análise dos domínios e facetas do WHOQOL-100. O artigo 2, por sua vez, mostrou associações da percepção de QV geral com níveis de depressão, percepção subjetiva de saúde e sexo. No artigo 3, foi possível verificar uma tendência, em todos os domínios e na medida QV geral, de o cuidador responder pior percepção de QV do idoso do que o próprio idoso cuidado, apesar de algumas concordâncias (domínios físico, nível de independência, meio ambiente e espiritualidade/religião). Também observou-se que a intensidade de depressão do idoso exerceu forte influência tanto na sua própria percepção de QV quanto na percepção do cuidador sobre o idoso. O artigo 4 mostrou uma prevalência alta e não esperada de idosos internados que se percebiam como saudáveis. Foi possível observar, ainda, uma associação significativa entre percepção saudável e menor intensidade de sintomas depressivos, bem como melhor percepção de QV no domínio nível de independência. E por último, o artigo 5 discute o viés da subescala somático e de desempenho nas respostas do idoso ao BDI. Conclusões: Idosos constituem um grupo particular e, como tal, apresentam especificidades relevantes. A avaliação dos idosos em relação às suas percepções de QV está associada a sexo, idade, estado civil, classe social, percepção de saúde e mais fortemente associada a níveis de sintomas depressivos. Explorando o cuidador como avaliador da QV do idoso observou-se uma tendência de o cuidador perceber a QV do idoso pior do que a própria percepção do idoso, apesar de fortes correlações para todos os domínios e na medida QV geral na percepção do par idoso-cuidador. Já na avaliação de percepção de saúde em idosos foi verificada a influência da intensidade dos sintomas depressivos bem como da dimensão independência: quanto menor a intensidade de depressão e quanto maior o nível de independência, maior associação com percepção de saúde entre idosos. Além desses, características próprias da população idosa podem interferir nos resultados do BDI fazendo com que seus achados sejam maximizados por questões somáticas e de desempenho sugerindo pontos de corte especiais para os idosos. Novos estudos são sugeridos a fim de atender a demanda específica do idoso.
Abstract Background: This doctoral thesis is another contribution from the Quality of Life Group (Brazilian Center) of the Graduate Program in Medicine: Psychiatry at UFRGS. This group has been working on cross-cultural projects devising quality of life (QoL) assessment questionnaires coordinated by the World Health Organization. Among the generic QoL questionnaires already developed, are the WHOQOL-100 and the WHOQOL-Bref and among the specific questionnaires for special populations, are the WHOQOL-HIV, the WHOQOL-SRPB, and, more recently, the WHOQOL-OLD. Devising a scale for elders is particularly important due to this age group’s specificities, as well as the rise in the number of elders in the world population. Objectives: The major objective of this study id to devise a QoL scale for elders (WHOQOL-OLD). Nevertheless, as this is a long-term process, specific objectives have been established after literature review and data collection, which generated 5 papers with different purposes, as follows: paper 1. To show the methodology used and the results of the focus groups for older adults’ QoL assessment, paper 2. To identify relevant variables on the QoL of older adults, 3. To look into the relationship between QoL perception of elders and the perception of their QoL in the opinion of their caregivers, paper 4. To look into variables associated with subjective health perception in elderly inpatients and paper 5. To research possible bias in elders’ responses to Beck’s Depression Inventory (BDI). Methods: The first study had a qualitative design while the others were quantitative. Samples varied in each study. For papers 1 and 2 the sample counted on health professionals (1) and caregivers (1 and 2). In paper 5 adults over 18 years old were also studied. Data collection was carried out in hospitals, nursing homes and community groups, residences and snowball recruiting in which each subject recommended another one. Informed consent was obtained from all interviewees who were then asked to answer questions on socio-demographic information, perceived QoL (WHOQOL-100) and depressive symptomatology (BDI), with little variation for caregivers. The last study counted only on socio-demographic data and BDI’s answers. Results: The results of the 5 papers briefly confirm the specificities of the elders and therefore, the need for the development of specific assessment for this population. Paper 1. resulted in the suggestion of new items for elders generated from spontaneous responses and analyses of domains and facets of WHOQOL-100. Paper 2. showed associations between overall QoL perception and depression levels, subjective perception of health and gender. Paper 3. reported a tendency in all domains and overall QoL for the caregiver to answer worse QoL perception on the elder than that of the caregiver, despite some accordance (physical, level of independence, environment and spirituality/religion domains). The study also reported that the depression intensity in elders played strong influence on their own QoL perception as well as on the caregiver’s perception on the elder. Paper 4. showed high and unexpected prevalence of elderly inpatients who considered themselves healthy. It was also possible to observe significant association between healthy perception and lower intensity of depressive symptoms, as well as better QoL perception in the level of independence domain. Finally, paper 5. discusses the bias of the somatic subscale and the performance on elders’ answers to BDI. Conclusions: Older adults are a specific group and, therefore, show relevant specificities. Elders’ assessment towards their QoL perceptions is associated with gender, marital status, social class, health perception and more strongly associated with depressive symptoms levels. When using the caregiver as the one to assess the elder’s QoL, it was possible to observe a tendency for the caregiver to consider the elder’s QoL worse than that of the elder himself, despite strong correlations for all domains and overall QoL in the perception of the dyad elder-caregiver. On the other hand, health perception assessment on elders reported influence of the intensity of depressive symptoms as well as the independence dimension: the lower the intensity of depression and the level of independence, the stronger the association with health perception in elders. Besides these, specific characteristics of the elder population may interfere with BDI results, turning their findings into somatic and performance issues, suggesting special cutoff point for elders. Further studies are suggested in order to meet this group’s specific demand.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/3471
Arquivos Descrição Formato
000401328.pdf (4.017Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.