Repositório Digital

A- A A+

Os desafios nas relações econômicas entre Brasil e Estados Unidos no contexto da ascensão da China

.

Os desafios nas relações econômicas entre Brasil e Estados Unidos no contexto da ascensão da China

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Os desafios nas relações econômicas entre Brasil e Estados Unidos no contexto da ascensão da China
Autor Sebben, Sílvia Carolina
Orientador Cunha, Andre Moreira
Data 2011
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Ciências Econômicas. Curso de Relações Internacionais.
Assunto Balança comercial
Brasil
China
Estados Unidos
História econômica
Política internacional
Relações comerciais
[en] Brazil
[en] China
[en] Foreign direct investment
[en] Trade balance
[en] Trade partnership
[en] USA
[en] World trade organization
[es] Asociación comercial
[es] Balanza comercial
[es] Brasil
[es] EE.UU.
[es] Inversión extranjera directa
[es] Organización mundial del comercio
Resumo As relações econômico-comerciais entre Brasil e Estados Unidos passaram por uma série de mudanças no século XX. De políticas que privilegiavam o alinhamento automático e o estabelecimento de preferências comerciais em relação aos Estados Unidos, o Brasil passou, gradativamente, para uma posição de busca por maior autonomia em relação aos norte-americanos. Atualmente, a manutenção de um relacionamento privilegiado entre os dois países encontra-se em xeque em função de fatores como 1) as divergências apresentadas por ambos em negociações comerciais bilaterais e em fóruns multilaterais, 2) as disparidades nos índices de balança comercial entre os dois países, agravadas pelos efeitos da crise econômica de 2008-2009 e 3) o vigoroso aumento da presença da China no mercado brasileiro, que vem ocupando desde 2009 o posto de principal parceiro comercial do Brasil. O objetivo deste trabalho é analisar as tendências do relacionamento econômico-comercial entre Brasil e Estados Unidos no século XXI. Argumentamos que a aproximação do Brasil com a China é um fator de mudança para tal relacionamento, já que gera ao Brasil a possibilidade de manutenção de uma posição mais independente dos Estados Unidos, dando-lhe maior autonomia no regime de comércio internacional.
Abstract The economic and trade relations between Brazil and the United States have gone through lots of changes in the 20th century. From politics which favored the automatic alingment and the establishment of commercial prefferences with the United States, Brazil has passed gradually to a position of search for a wider autonomy in regard to the North-Americans. Nowadays, the maintenance of a favored relationship between the two counties is in check because of factores such as 1) the differences presented by both in commercial negotiations, done in bilateral and multilateral terms, 2) the disparities of trade balance indices between the two countries, which were agravatted by the 2008-2009 economic crisis and 3) the strong increase in China‟s presence in the Brazilian market, which ocuppies the position of Brazil‟s largest trading partner since 2009. The goal of this paper is to analyze the tendencies for the economic and trade relations between Brazil and the United States in the 21st century. We argue that Brazil‟s approximation with China is a factor which brings changes to this relationship, as it gives Brazil the possibility of maintaining a more independent position in regard to the United States, enabling the country to have a wider autonomy in the international trade regime.
Resumen Las relaciones económicas y comerciales entre Brasil y los Estados Unidos han sufrido una serie de cambios en el siglo XX. De políticas que favorecian la alineación automática y el establecimiento de preferencias comerciales en relación con los Estados Unidos, Brasil pasó a buscar una posición de mayor autonomía de los estadounidenses. En la actualidad, el mantenimiento de una relación privilegiada entre los dos países está en riesgo debido a factores tales como: 1) las diferencias mostradas por ambos en las negociaciones comerciales bilaterales y en foros multilaterales, 2) las disparidades en los niveles de la balanza comercial entre los dos países, agravada por la crisis económica de 2008-2009 y 3) el fuerte incremento de la presencia de China en el mercado brasileño, que desde 2009 se ubica como el mayor socio comercial de Brasil. El objetivo de este estudio es analizar las tendencias actuales en las relaciones económicas y comerciales entre Brasil y Estados Unidos. Se argumenta que la aproximación de Brasil con China es un factor de cambio para esa relación, ya que esta genera a Brasil la posibilidad de mantener una posición más independiente de los Estados Unidos, dándole una mayor autonomía en el régimen de comercio internacional.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/34811
Arquivos Descrição Formato
000783549.pdf (904.8Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.