Repositório Digital

A- A A+

Avaliação da comunicação não-verbal em pacientes com doença de parkinson : reconhecimento da emoção de faces, gestos e prosódia

.

Avaliação da comunicação não-verbal em pacientes com doença de parkinson : reconhecimento da emoção de faces, gestos e prosódia

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Avaliação da comunicação não-verbal em pacientes com doença de parkinson : reconhecimento da emoção de faces, gestos e prosódia
Autor Silva, Mariana Feller Gonçalves da
Orientador Rieder, Carlos Roberto de Mello
Data 2011
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Medicina: Ciências Médicas.
Assunto Comunicação não verbal
Doença de Parkinson
Emoções manifestas
Gestos
Resumo O reconhecimento do estado emocional das pessoas é elemento básico para o funcionamento emocional e fundamental para o comportamento social. Na DP, esta função está prejudicada e é pouco comentada. Pesquisas sobre o assunto, na DP, descrevem somente alterações no reconhecimento de expressões faciais e prosódia. O objetivo desta pesquisa foi avaliar o reconhecimento da prosódia emocional e de expressões faciais e corporais, com e sem a influência de diferentes níveis da comunicação não-verbal (gestos corporais, entonação de voz e expressões faciais) na DP. Para estes fins, trinta e três pacientes com DP e quarenta controles sem complicações neurológicas foram estudados. O reconhecimento da prosódia emocional foi testada com 10 gravações em audio, com conteúdo afetivo neutro, que foram lidas com fortes expressões afetivas (alegria, tristeza, raiva e nojo). O reconhecimento de face e corpo foi testado com 20 fotos (10 homens e 10 mulheres) e 10 vídeos, respectivamente. Nesta primeira parte da testagem, deveriam ser reconhecidas cinco emoções: alegria, tristeza, raiva, medo e nojo. Para avaliar o efeito da interferência de diferentes formas da comunicação não-verbal na percepção de emoções, apresentamos faces e corpos mistos, congruentes (com as mesmas emoções na face e no corpo) e incongruentes (emoção corporal diferente da facial), através das quais os sujeitos da pesquisa tiveram que reconhecer três emoções: raiva, medo e alegria. Os individuos foram controlados quanto escolaridade, sintomas de depressão pelo inventário de depressão de Beck (BDI), funções cognitivas pelo mini exame do estado mental (MEEM), estágio da doença pela escala de Hoehn and Yahr (HY), atividades de vida diaria de Schwab and England (S&E) e grau de incapacidade funcional pela unified Parkinson´s disease rating scale (UPDRS). Em nossos achados, os pacientes com DP tiveram prejuízo no reconhecimento de emoções negativas para as tarefas de reconhecimento de emoções corporais isoladas, em relação ao controle (p<0,05). A congruência na tarefa de identificação da linguagem corporal com interferência de expressões emocionais faciais parece ajudar o grupo controle no reconhecimento, mas não altera o desempenho do grupo com DP. No escore total para cada uma das três tarefas propostas (com faces, prosódia e faces combinadas com corpos), a diferença entre grupo controle e DP foi nítida, demonstrando comprometimento dos pacientes para o reconhecimento emocional. Achados novos foram descritos para reconhecimento de faces isoladas e, pela primeira vez, em um estudo com DP, foi possível analisar a influência positiva de corpos congruentes e negativa de expressões corporais incongruentes no desempenho dos sujeitos com DP. Os achados para congruência e incongruência das tarefas com reconhecimento de emoções no corpo e na face, demonstram a importante função do corpo na comunicação não-verbal.
Abstract The recognition of the emotional state of people is a key element in emotional functioning and essential for social behavior. In PD, this function is impaired and is rarely commented. Researches in PD only describe changes in the recognition of facial expressions and prosody. The purpose of this study was to evaluate the recognition of emotional prosody and facial and body expressions, with and without the influence of different levels of nonverbal communication (body gestures, voice intonation and facial expressions) in PD. For these purposes, thirty-three PD patients and forty controls without neurological complications were studied. The recognition of emotional prosody was tested with 10 audio recordings, with neutral affective content, which were read with strong emotional expressions (happiness, sadness, anger and disgust). The recognition of face and body was tested with 20 photos (10 men and 10 women) and 10 videos, respectively. In this first part of the testing, should be recognized five emotions: happiness, sadness, anger, fear and disgust. To evaluate the effect of interference of different forms of nonverbal communication in the perception of emotions, we used faces and bodies congruent (with the same emotions on the face and body) and incongruent (different body of facial emotion) through which the subjects had to recognize three emotions: anger, fear and happiness. Individuals were examined for education, symptoms of depression by the Beck Depression Inventory (BDI), cognitive functions by the mini mental state examination (MMSE), stage of disease by the Hoehn and Yahr (HY), Schwab and England activities of daily living (S&E) and degree of disability by the unified Parkinson's disease rating scale (UPDRS). In our findings, patients with PD had impaired recognition of negative emotions for the tasks of isolated body emotion recognition when compared to control (p <0.05). The congruence on the task of identifying the body language with interference of emotional facial expressions seems to help in the control group recognition, but does not alter the performance of the group with PD. In the total score for each of the three proposed tasks (with faces, faces and prosody combined with bodies), the difference between HC and PD was clear, showing impairment to the patient’s emotional recognition. New findings were described for recognizing isolated faces and, for the first time in a study with PD, it was possible to analyze the positive influence of congruent bodies and the negative influence of incongruent body language on the performance of subjects with PD. The findings for congruence and incongruence of emotion recognition tasks in the body and face demonstrate the important function of the body in nonverbal communication.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/35018
Arquivos Descrição Formato
000790008.pdf (2.241Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.