Repositório Digital

A- A A+

Avaliação do uso de membranas cerâmicas de micro e ultrafiltração no tratamento de efluentes de um biodigestor anaeróbio

.

Avaliação do uso de membranas cerâmicas de micro e ultrafiltração no tratamento de efluentes de um biodigestor anaeróbio

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Avaliação do uso de membranas cerâmicas de micro e ultrafiltração no tratamento de efluentes de um biodigestor anaeróbio
Autor Zatti, Daniel D'Agnoluzzo
Orientador Cassini, Aline Schilling
Data 2010
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Engenharia. Curso de Engenharia Química.
Assunto Engenharia química
Resumo Existem muitas pesquisas que enfatizam a problemática do meio ambiente. Uma das primeiras exigências dos ambientalistas foi a de controlar o despejo de efluentes em córregos, rios, lagos ou mesmo no oceano. Propuseram-se, então, métodos alternativos ao descarte. O tratamento dos mesmos no próprio local de sua geração foi, então, tomado como o procedimento padrão para a maioria das indústrias, as quais processam o efluente separando as cargas orgânica e inorgânica da água purificada, podendo retomar a utilização da mesma ou retorná-la para o meio ambiente. Dentro deste contexto, a proposta deste trabalho é a de avaliar a eficiência do uso de membranas de micro e ultrafiltração (MF e UF) na remoção da carga orgânica dos efluentes provenientes de biodigestores anaeróbios produtores de biogás. Para tanto, serão avaliadas duas membranas cerâmicas tubulares: uma de MF (tamanho nominal de poro de 0,1 μm) e outra de UF (massa molar de corte, MMC, de 20 kDa). Parâmetros tais como o fluxo através das membranas, a remoção de carga orgânica e a tendência ao fouling foram avaliados a fim de verificar a eficiência do processo. No teste em que foi medida a permeabilidade do efluente, a membrana de UF apresentou um fluxo de permeado maior. Isto provavelmente se deve ao fato de que, com os poros menores, esta membrana não sofreu entupimento interno dos poros pelas partículas presentes no efluente ou, se sofreu, foi em menor proporção. A membrana de MF, por sua vez, pode ter sofrido entupimento no interior de seus poros, ou entupimento completo, comprometendo o fluxo de permeado. No teste de remoção da matéria orgânica, ambas as membranas apresentaram boa eficiência, que foi de 82,65% de remoção de carbono orgânico total (COT) pela membrana de MF, e em torno de 79,73% de remoção de COT pela membrana de UF. O teste demonstrou bons percentuais de remoção de COT para ambas, porém não apresenta grande diferença entre as duas membranas. Em função dos resultados de fluxo permeado e remoção de COT, pode-se indicar a membrana de UF (20 kDa), com fluxo de permeado maior, como a mais adequada para o tratamento deste tipo de efluente, nas condições estudadas.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/35180
Arquivos Descrição Formato
000792968.pdf (1.207Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.