Repositório Digital

A- A A+

Associação entre densidade calórica da dieta usual e presença de síndrome metabólica em pacientes com diabetes mellitus tipo 2

.

Associação entre densidade calórica da dieta usual e presença de síndrome metabólica em pacientes com diabetes mellitus tipo 2

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Associação entre densidade calórica da dieta usual e presença de síndrome metabólica em pacientes com diabetes mellitus tipo 2
Autor Menegotto, Giovana
Orientador Almeida, Jussara Carnevale de
Co-orientador Silva, Flávia Moraes
Data 2011
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Curso de Nutrição.
Assunto Diabetes mellitus tipo 2
Dieta
Síndrome X metabólica
[en] Diabetes mellitus
[en] Diet
[en] Energy density
[en] Metabolic syndrome X
[en] Type 2
Resumo Introdução e objetivo: A densidade calórica (DC) da dieta vem sendo associada à presença de Síndrome Metabólica (SM) em indivíduos sem diabetes. Considerando a elevada prevalência de SM em indivíduos com Diabetes Mellitus (DM) tipo 2 e o papel da dieta na prevenção e tratamento da SM, o presente estudo de casos e controles teve por objetivo avaliar as possíveis associações entre DC da dieta e das refeições e a presença de SM em pacientes com DM tipo 2. Pacientes e métodos: A DC [calorias (kcal) dos alimentos sólidos/peso (g) dos alimentos sólidos] da dieta usual de 125 pacientes com DM tipo 2 [78 pacientes com SM (casos) e 47 pacientes sem SM (controles); 62,09,4 anos, duração do DM de 12,58,4 anos, HbA1c 7,21,3%) foi avaliada através de três registros alimentares com pesagem de alimentos. A SM foi definida de acordo com Joint Interim Statment-2009. Resultados: Pacientes com SM eram em maior proporção mulheres, apresentavam menor tempo de diabetes, menores valores de HbA1c e maior proporção de excesso de peso em comparação ao grupo controle, além de apresentarem ingestão alimentar diária com menor valor calórico total e menor conteúdo de fibras e consumirem maior quantidade de alimentos (gramas/dia). Pacientes com SM apresentaram almoço com maior DC (1,50,2 vs. 1,40,3 kcal/g; p=0,017) e consumiram nessa refeição menor quantidade de leguminosas [0,7(0,4–1,1) vs. 1,1(0,6–1,6) g/kg; p=0,020], vegetais [1,2(0,6–1,7) vs. 1,4(1,0–2,0) g/kg; p=0,046] e carnes [1,3(1,0–1,6) vs. 1,4(1,2–1,8) g/kg; p=0,034] em comparação aos controles. Ainda, uma maior proporção de pacientes com SM (94,7%) consumiram carnes vermelhas em relação aos pacientes sem SM (82,2%; p = 0,028). Em análise multivariada foi observada associação entre DC do almoço e presença de SM (RC=4,94; IC95% 1,24–31,89; p=0,026) após ajustes para gênero, duração do DM, HbA1c e conteúdo de fibras dessa refeição. Não foram observadas associações significativas entre a presença dos componentes isolados da SM e DC da dieta total e das refeições nesses pacientes. Conclusões: No presente estudo, almoço com elevada DC foi associado à presença de SM em pacientes com DM tipo 2. O consumo de leguminosas, vegetais e carnes brancas nessa refeição poderiam reduzir a DC do almoço, podendo ser uma estratégia complementar na prevenção da SM nesses pacientes.
Abstract Introduction and objective: Dietary energy density (ED) has been associated with Metabolic Syndrome (MetS) in subjects without diabetes. Considering the high prevalence of MetS in patients with type 2 diabetes and the role of diet in the prevention and treatment of MetS, the aim of the present study was to investigate the possible associations between dietary ED (total and by meal) and MetS in patients with type 2 diabetes. Patients and methods: Dietary ED [energy from food (kcal)/food amount (g)] of 125 patients with type 2 diabetes [78 patients with MetS (cases) and 47 patients without MetS (controls), 62.09.4 years old, diabetes duration of 12.58.4 years, HbA1c 7.21.3%] was assessed by 3-day weighed diet records. MetS was defined according to 2009-Joint Interim Statement. Results: In MetS group, a greater proportion of females was observed and also, patients with MetS had lower duration of diabetes, lower HbA1c and were more overweight than the control group. Regarding to dietary intake, patients with MetS reported lower energy intake and fiber contents and they consumed greater food amount as compared to patients without MetS. Patients with MetS had higher ED at lunch (1.50.3 kcal/g vs. 1.40.2 kcal/g, p=0.017) and lower intakes (grams/kg) in this meal of beans [0.7(0.4–1.1) vs. 1.1(0.6–1.6)g/kg; p=0.020], vegetables [1.2(0.6–1.7) vs. 1.4(1.0–2.0) g/kg; p=0.046] and total meat [1.3(1.0–1.6) vs. 1.4(1.2–1.8) g/kg; p=0.034] than controls. Furthermore, a greater proportion of patients with MetS (94.7%) consumed red meat as compared to patients without MetS (82.2%, p = 0.028). In multivariate analysis high ED of lunch was associated with MetS (OR=4.94, 95%CI 1.24–31.89;p=0.026), after adjustment for gender, diabetes duration, HbA1c and fiber content at lunch. Significant associations between MetS components and ED were not observed. Conclusions: In this study high ED at lunch was significantly associated with MetS in patients with type 2 diabetes. The intake of beans, vegetables, and white meats can reduce the ED at lunch and this could be a complementary approach to MetS prevention in these patients.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/35898
Arquivos Descrição Formato
000816230.pdf (800.6Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.