Repositório Digital

A- A A+

Agroindústria familiar rural e a qualidade da produção artesanal na região metropolitana de Porto Alegre : o enfoque da teoria das convenções

.

Agroindústria familiar rural e a qualidade da produção artesanal na região metropolitana de Porto Alegre : o enfoque da teoria das convenções

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Agroindústria familiar rural e a qualidade da produção artesanal na região metropolitana de Porto Alegre : o enfoque da teoria das convenções
Autor Nichele, Fernanda Severo
Orientador Waquil, Paulo Dabdab
Data 2010
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Ciências Econômicas. Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Rural.
Assunto Agricultura familiar
Agroindústria familiar
Desenvolvimento rural
Modo de produção
Porto Alegre, Região Metropolitana de (RS)
Teoria econômica
[en] Collective action
[en] Mutual recognition
[en] Rural familiar agroindustry
[en] Theory of the convention
[en] Trust
[en] Wide quality
Resumo A agroindústria familiar rural surge como uma alternativa na busca de novos nichos de mercados, utilizando-se da maior diversidade de produtos e da diferenciação dos produtos através da transformação dentro da propriedade. Sua implantação é considerada uma alternativa eficaz como política de Desenvolvimento Rural, mas com todos os esforços, existem muitas limitações neste setor, principalmente da legislação sanitária. O objetivo deste estudo é analisar a agroindústria familiar rural, como as regras são construídas dentro da comunidade e aceitas pelos próprios agricultores, quanto à realidade produtiva, às leis e às normas que qualificam a produção agroindustrial. A Teoria das Convenções baseia-se no reconhecimento mútuo e coletivo da qualidade ampla do produto, e foi utilizada para explicar como funcionam as interações entre produtores com relação às regras de produção ou “modos de fazer” no processo produtivo. Foram entrevistadas 14 agroindústrias na Região Metropolitana de Porto Alegre, nos municípios de Porto Alegre, Viamão, Gravataí e Glorinha. Este estudo caracterizou-se por uma pesquisa exploratória, cuja coleta de dados foi feita através de formulário semi-estruturado, diário de campo e dados secundários. Foi feita análise de conteúdo e análise quantitativa de dados. A construção dos mercados e das regras que os regem, mesmo com o cumprimento das normas legais, vem de dentro do processo e com a colaboração de todos os atores: produtores, consumidores e instituições apoiadoras do setor. A incorporação de novas práticas e de um consumidor mais informado e atuante trouxe uma realidade de maior interação, onde a construção do mercado é feita por todos os atores, e estes também utilizam do prévio conhecimento uns dos outros para atestar a qualidade dos produtos e de tudo que compõe o mercado, consolidando assim, uma rede de interações baseada também na confiança. Mesmo com garantias legais, como os selos e os alvarás da inspeção sanitária, a garantia baseada na confiança é a mais importante, aliada à efetiva qualidade dos produtos. A qualidade é construída e vista nas agroindústrias não só como um processo físico, mas também contando com aspectos sociais e culturais e considerando o esforço pessoal na confecção dos produtos, a dedicação, a tradição e os “modos de fazer” artesanal, que trazem o toque especial colonial. Utilizam-se das boas práticas na produção à medida que seu capital para investimento pode atender, prezando pela qualidade (apresentação e sanidade dos produtos), e compartilham essas premissas tanto com colegas de feira e associação, quanto com os consumidores. As convenções nas agroindústrias existem e são seguidas pelos produtores e supervisionadas por seus consumidores, onde todos contribuem e coletivamente as constroem, trocando informações, fiscalizando e sugestionando mudanças. Os produtores demonstram grandes esforços em prosperar e desenvolver, mas é necessário que exista apoio governamental e institucional para divulgação, qualificação e adequação da legislação para a agricultura familiar.
Abstract The rural familiar agroindustry is an alternative in the search for new niche markets, using the greater diversity of existing products and product differentiation by transforming them inside the property. Its implementation is considered an effective alternative as policy fot Rural Development, but despite all efforts there are many limitations in this sector, especially in sanitary legislation. The aim of this study is to analyze rural familiar agroindustry, how these rules are built within the community and accepted by the farmers themselves, as the present production, laws and standards that qualify the agroindustrial production and The Theory of the Convention is based on mutual recognition and collective of wide quality of the product, and was used to explain how interactions are worked among producers regarding production rules or “ways to make” the production process. 14 agroindustries in the Metropolitan Area oh Porto Alegre, in the municipalities of Porto Alegre, Viamão, Gravataí e Glorinha were interviewed. This study was characterized by an exploratory research, whose sample collection data was made through a semi-structured field diary and secondary data. Content analysis and quantitative analysis of data were made. The construction of markets and the rules that govern them even with the compliance of the law comes from within the process and the collaboration of all agents: producers, consumers and supporting institutions of the sector. The incorporation of new practices and a more informed consumer and acting also brought reality for more interaction, where the construction market is made by all agents, and they use prior knowledge of each other to improve the quality of products and anything that makes up the market, thus consolidating a network of interactions also based on trust. Even with legal safeguards, such as labels and licenses from the sanitary inspection, the assurance based on trust is the most important, combined with the effective product quality. Quality is built on the agroindustries by looking not only at a physical process, but also relying on social and cultural aspects, considering personal efforts in making the products, dedication, tradition and artisanal “ways to make”, which bring the colonial touch. Utilizing the best practices in production that their capital investment can provide, emphasizing quality (presentation of products and sanity), and sharing these premises with colleagues from fair and association, as with consumers. The conventions in agroindustries already exist, and are followed by producers and supervised by its consumers, which all contribute and build collectively, exchanging information, monitoring and suggesting changes. Producers showed great effort in prospering and developing, but there must be government support and institutional basis for marketing, qualifying and adequacy of rules for family farmers.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/36396
Arquivos Descrição Formato
000816622.pdf (4.877Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.