Repositório Digital

A- A A+

Gestão de medicamentos vencidos nas drogarias do município de Agudo - RS

.

Gestão de medicamentos vencidos nas drogarias do município de Agudo - RS

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Gestão de medicamentos vencidos nas drogarias do município de Agudo - RS
Autor Dumke, Tanusa Teresa
Orientador Nascimento, Luis Felipe Machado do
Co-orientador Bossle, Marilia Bonzanini
Data 2011
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Administração. Curso de Administração.
Assunto Gestão ambiental
Medicamentos vencidos
Resumo A questão do gerenciamento dos resíduos sólidos em serviços de saúde aparece cada vez com mais força no cenário ambiental e da saúde. Com o aumento do número de farmácias e drogarias abertas nos últimos tempos e o conseqüente aumento da comercialização de medicamentos, aumenta também a quantidade de resíduos dessa natureza gerados pelos estabelecimentos e pela população. O problema que motivou este estudo foi a preocupação em saber como ocorre o descarte dos medicamentos vencidos nas drogarias do município de Agudo – RS, um município que não possui coleta seletiva e teve um aumento significativo no número de drogarias nos últimos anos. Para tanto, foi realizada inicialmente, uma pesquisa teórica sobre resíduos sólidos, classificação destes resíduos, resíduos de serviços de saúde, resíduos farmacêuticos e medicamentos vencidos, mais especificamente sobre descarte desses medicamentos com prazo de validade expirado. O método utilizado foi o estudo de casos múltiplos, baseado em entrevistas estruturadas que foram aplicadas nas drogarias do município buscando obter informações importantes a respeito da metodologia de descarte dos medicamentos vencidos adotada em cada uma das mesmas. Além disso, buscou-se investigar a prática destes estabelecimentos em relação à conscientização da população quanto ao correto descarte de medicamentos vencidos e à disponibilização de medicamentos fracionados. Pode-se observar que as drogarias apenas cumprem a legislação por obrigatoriedade, fazendo o que é estipulado, mas nem questionam se suas práticas poderiam ser diferentes, não ficando evidenciada uma real consciência ecológica nos estabelecimentos visitados. Tanto que algumas etapas de manejo de resíduos analisadas nos estabelecimentos passam despercebidas. A segregação que se caracteriza como uma etapa importante para a minimização de resíduos perigosos gerados e pode contribuir com a coleta de material reciclável é realizada em apenas três drogarias. Todos os estabelecimentos contratam empresa terceirizada para realizar a coleta dos medicamentos com prazo de validade expirado, acreditando que desta maneira, estarão cumprindo com sua obrigação e se eximindo de qualquer problema que possa vir a ocorrer em relação à saúde ou ao meio ambiente. No entanto nenhum estabelecimento tem conhecimento de onde realmente são descartados os medicamentos e nem de como ocorre efetivamente o processo. Apenas acreditam que, pelo fato da empresa terceirizada estar em funcionamento, ela esteja de acordo com a legislação vigente. Além disso, é possível observar que não é prática comum nas drogarias disponibilizar medicamentos fracionados à população, o que poderia contribuir para diminuir o descarte de medicamentos vencidos no meio ambiente. Também não ficou evidenciado qualquer política de conscientização da população no sentido do correto descarte de medicamentos vencidos.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/36732
Arquivos Descrição Formato
000789566.pdf (262.6Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.