Repositório Digital

A- A A+

Jango, crise política e golpe nos jornais portoalegrenses : uma análise sobre as representações do conceito de democracia nos jornais Última Hora e Folha da Tarde, de Porto Alegre, em março e abril de 1964

.

Jango, crise política e golpe nos jornais portoalegrenses : uma análise sobre as representações do conceito de democracia nos jornais Última Hora e Folha da Tarde, de Porto Alegre, em março e abril de 1964

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Jango, crise política e golpe nos jornais portoalegrenses : uma análise sobre as representações do conceito de democracia nos jornais Última Hora e Folha da Tarde, de Porto Alegre, em março e abril de 1964
Autor Becker, Jonathan Bernicker
Orientador Pinto, Celi Regina Jardim
Data 2011
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Curso de História: Licenciatura.
Assunto Análise do discurso jornalístico
Brasil. Presidente (1961-1964 : João Goulart)
Democracia
Folha da Tarde (Jornal)
Goulart, João, 1918-1976
Imprensa
Última Hora (Jornal : Porto Alegre, RS)
[en] Daily printed press
[en] Democracy
[en] Discourse analysis
[en] Folha da Tarde
[en] João Goulart
[en] Última Hora
Resumo Este trabalho aborda a forma como a imprensa rio-grandense se posicionou acerca do momento histórico de radicalização política do período final do governo federal de João Goulart (1961-1964) e do Golpe Militar. Para a análise, foram escolhidos dois importantes jornais em circulação em Porto Alegre, representativos de visões de mundo diferentes: Última Hora e Folha da Tarde. Para esse fim, foram analisadas as formas como o conceito de democracia e o contexto histórico da primeira metade dos anos 60 no Brasil foram representados nos discursos dos jornais citados durante o mês de março e o início de abril de 1964. Os jornais escolhidos apresentaram posições políticas claras e opostas entre si no período analisado, o que proporcionou a possibilidade de uma análise comparativo-contrastiva das posições de ambos dentro da luta política. Para tanto, foram utilizadas referências teóricas de Maria Helena Rolim Capelato (1988) e de Céli Regina Jardim Pinto (1989) e foi empregado o método intensivo de análise de jornais proposto por Claudio Pereira Elmir (1995).
Abstract The present work addresses the ways the daily printed press of Rio Grande do Sul politically positioned itself in the historical moment of political radicalization in the end of João Goulart's federal government (1961 – 1964), culminating in the Military Coup. Two important newspapers in circulation in the period, representing different ways of seeing the world, were chosen as objects for the analysis: Última Hora and Folha da Tarde. The main focal points of our analysis were the historical context of the first half of the sixties in Brazil and the concept of democracy conveyed in the discourses of the aforementioned newspapers, communicated through a corpus of texts published in March and in the beginning of April of 1964. The chosen newspapers hold two clearly opposite political views which proved to be fertile ground for a comparative and contrast analysis of their antagonistic positions in the political struggle. To meet this end, theoretical references from Maria Helena Rolim Capelato (1988) and Céli Regina Jardim Pinto (1989) were used, as well as the intensive method of newspaper analysis proposed by Cláudio Pereira Elmir (1995).
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/36934
Arquivos Descrição Formato
000819337.pdf (537.5Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.