Repositório Digital

A- A A+

Governo Ildo Meneghetti : análise do discurso de governo em torno da Reforma Agrária e a descaracterização do Instituto Gaúcho de Reforma Agrária (1963-1964)

.

Governo Ildo Meneghetti : análise do discurso de governo em torno da Reforma Agrária e a descaracterização do Instituto Gaúcho de Reforma Agrária (1963-1964)

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Governo Ildo Meneghetti : análise do discurso de governo em torno da Reforma Agrária e a descaracterização do Instituto Gaúcho de Reforma Agrária (1963-1964)
Autor Rebello, Tiego Rocha
Orientador Pinto, Celi Regina Jardim
Data 2011
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Curso de História: Licenciatura.
Assunto Análise do discurso político
Radicalização política
Reforma agrária
Resumo Com a posse de João Goulart, após a renúncia de Jânio Quadros, o Brasil mergulhou em um contexto de radicalização política que se acentuou em torno das Reformas de Base, sobretudo a Reforma Agrária. O Rio Grande do Sul entre janeiro de 1959 e janeiro de 1963, na gestão de Leonel Brizola, vivenciou um governo de cunho nacionalista que principiou políticas de Reforma Agrária. Na intenção de atingir esse objetivo, os trabalhistas atuaram na mobilização camponesa, via Movimento dos Agricultores Sem Terra (MASTER). Este se constituiu em base de apoio mútuo e relegou ao sucessor de Brizola, Ildo Meneghetti, um Estado mobilizado em torno da Reforma Agrária. A presente monografia propõe-se a fazer uma análise do discurso do Governo Ildo Meneghetti (PSD) relacionado à Reforma Agrária, visando compreendê-lo em um contexto de franca radicalização política, considerado por muitos historiadores como o auge da luta de classes. Por meio da análise desse discurso, objetivou-se uma melhor compreensão da postura repressiva do governo em relação ao MASTER e do deslocamento de interesses e princípios da Reforma Agrária, a qual perde espaço e significado para Industrialização. Além disso, partiu-se da hipótese que o Instituto Gaúcho de Reforma Agrária (IGRA), criado no mandato de Brizola, teria se descaracterizado em relação às funções para as quais ele fora criado. Nesse sentido, buscaram-se indícios desse esvaziamento de atribuições no conjunto da documentação analisada.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/37068
Arquivos Descrição Formato
000819794.pdf (337.0Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.