Repositório Digital

A- A A+

O amor mórbido como moléstia do espírito : gênero, ciência e a construção da diferença sexual no discurso médico no Rio Grande do Sul do início do século XX a partir da definição do normal e do patológico na tese Da intoxicação pelo Amor (1908) de Leopoldo Pires Porto

.

O amor mórbido como moléstia do espírito : gênero, ciência e a construção da diferença sexual no discurso médico no Rio Grande do Sul do início do século XX a partir da definição do normal e do patológico na tese Da intoxicação pelo Amor (1908) de Leopoldo Pires Porto

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título O amor mórbido como moléstia do espírito : gênero, ciência e a construção da diferença sexual no discurso médico no Rio Grande do Sul do início do século XX a partir da definição do normal e do patológico na tese Da intoxicação pelo Amor (1908) de Leopoldo Pires Porto
Autor Cadore, Nathália Boni
Orientador Pinto, Celi Regina Jardim
Data 2011
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Curso de História: Licenciatura.
Assunto Discurso científico
Eugenia
Gênero
Rio Grande do Sul
Sexualidade
Resumo Este trabalho investiga, partindo de uma visão construcionista acerca do gênero, do sexo e da sexualidade, bem como das críticas feministas à epistemologia científica, as definições de normal e de patológico no processo de medicalização da afetividade e da sexualidade presentes na tese Da intoxicação pelo amor (1908), de Leopoldo Pires Porto (1885 – 1935). Tais definições possibilitaram um estudo a respeito do controle de casamentos no pensamento higienista e de como se desenvolveram alguns dos mecanismos do discurso científico da medicina no final do século XIX e início do século XX para naturalizar a diferença sexual. Através da análise dessa forma de discurso científico de perspectiva masculina, foi possível estabelecer as maneiras diferenciadas como a ciência do século XIX relacionou a doença mental nos sexos feminino e masculino, e assim foi formulada uma interpretação que aponta elementos discursivos presentes na construção do diagnóstico do “amor mórbido” de Pires Porto como mecanismos de produção e de naturalização da diferença entre os sexos.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/37101
Arquivos Descrição Formato
000819578.pdf (857.4Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.