Repositório Digital

A- A A+

Efeito de extratos de erva-mate (Ilex paraguariensis A. St. Hil) sobre linhagem celular humana de tumor de bexiga T24

.

Efeito de extratos de erva-mate (Ilex paraguariensis A. St. Hil) sobre linhagem celular humana de tumor de bexiga T24

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Efeito de extratos de erva-mate (Ilex paraguariensis A. St. Hil) sobre linhagem celular humana de tumor de bexiga T24
Autor Cunha, Fernanda Monte da
Orientador Battastini, Ana Maria Oliveira
Co-orientador Matté, Cristiane
Data 2011
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Curso de Nutrição.
Assunto Ilex paraguariensis
Neoplasias da bexiga urinária
Resumo Conhecida popularmente como erva-mate, a Ilex paraguariensis, é uma espécie naturalmente distribuída em alguns países da América do Sul como Argentina, Brasil e Paraguai, onde seu cultivo desempenha importante papel econômico. Muito utilizada inicialmente pelos povos indígenas habitantes dessa região, seu consumo está bastante ligado a fatores culturais que envolvem o hábito da ingestão de bebidas como o chimarrão e o mate. Entre os efeitos atribuídos aos seus fitoquímicos, estão os potenciais antioxidantes, anticarcinogênico e antiobesogênico. Por outro lado, estudos epidemiológicos trazem a associação de seu consumo à incidência de tumores como os de esôfago, rins e bexiga. Com isso, o objetivo do presente trabalho foi investigar o possível efeito citotóxico de extratos hidroalcoólicos do fruto e da folha de Ilex paraguariensis A. St. Hil sobre a linhagem de câncer de bexiga humano T24. As células foram cultivadas em meio de cultura RPMI, suplementadas com 10% de soro fetal bovino e mantidas em incubadora a 37ºC, 95% de umidade relativa do ar e 5% CO2. Para a realização dos tratamentos, as células foram semeadas e, ao atingirem a semiconfluência, foram tratadas com extratos hidroalcóolicos do fruto imaturo (40% EtOH) e da folha (80%EtOH) da erva-mate. As concentrações utilizadas em ambos os tratamentos variaram de 5 a 1000μg/mL, pelo período de 48h. Após esse período, para o ensaio de contagem celular, as células foram lavadas, tripsinizadas e contadas em hemocitômetro. Para o ensaio de viabilidade celular, foi utilizado MTT 0,5mg/mL, e a densidade óptica do produto formado foi avaliada a 570nm e 630nm, em espectrofotômetro. Os resultados obtidos para o tratamento com o extrato da folha mostraram redução significativa das células tumorais nas concentrações de 300, 600, 800 e 1000μg/mL, o que se confirmou com o ensaio de viabilidade celular, que apresentou menor número de células viáveis inclusive na concentração de 150μg/mL. Quanto ao extrato do fruto, parece ocorrer um efeito citotóxico dose-dependente, mas significativo em ambos os testes apenas nas concentrações de 800 e 1000μg/mL. Os resultados confirmam o potencial citotóxico da erva-mate em células tumorais e trazem novas perspectivas de investigação da ação dessa planta nesse tipo de tumor.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/37218
Arquivos Descrição Formato
000820549.pdf (706.9Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.