Repositório Digital

A- A A+

Influência do modo ventilatório no desempenho funcional dos enxertos pulmonares pós-transplante em modelo canino : ventilção controlada a volume versus ventilação controlada a pressão

.

Influência do modo ventilatório no desempenho funcional dos enxertos pulmonares pós-transplante em modelo canino : ventilção controlada a volume versus ventilação controlada a pressão

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Influência do modo ventilatório no desempenho funcional dos enxertos pulmonares pós-transplante em modelo canino : ventilção controlada a volume versus ventilação controlada a pressão
Autor Fortis, Elaine Aparecida Felix
Orientador Cardoso, Paulo Francisco Guerreiro
Moreira, José da Silva
Data 2004
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Cuiências Médicas : Pneumologia.
Assunto Modelos animais
Transplante de pulmão
Ventilação pulmonar
Volume de ventilação pulmonar
Resumo O conhecimento dos riscos e conseqüências da lesão pulmonar induzida pela ventilação mecânica mudou a filosofia da terapia respiratória e tem influenciado nas recomendações e padronizações de seu uso. A influência dos diferentes modos ventilatórios não tem sido estudada em transplante de pulmão. O presente estudo teve como objetivo comparar a influência da ventilação controlada a volume (VCV) com a ventilação controlada a pressão (PCV) no desempenho funcional dos enxertos pulmonares, em modelo canino de transplante pulmonar unilateral utilizando-se doadores após três horas de parada cardiocirculatória. Quinze cães foram randomizados em dois grupos: oito cães foram alocados para o Grupo VCV e sete cães para o Grupo PCV. Cinco cães não completaram o período de avaliação pós-transplante, os dez animais restantes, grupo VCV (n= 5) e grupo PCV (n=5), foram avaliados durante 360 min após o término do transplante pulmonar. O desempenho funcional dos enxertos foi estudado através da avaliação da mecânica respiratória, trocas gasosas e das alterações histopatológicas. Não foram encontradas diferenças significativas em nenhuma das variáveis da mecânica respiratória estudadas (pressões de pico inspiratória- PPI; pressões de platô- PPLAT ; pressões médias de vias aéreas – Pmédia; complacências dinâmica- Cdyn e estática- Cst); da oxigenação, pressão parcial de oxigênio no sangue arterial e venoso misto (PaO2, PvO2); a diferença entre a saturação da hemoglobina no sangue arterial e no sangue venoso misto (ΔSO2); a pressão parcial de dióxido de carbono no sangue arterial e no sangue venoso misto (PaCO2, PvO2). As alterações histopatológicas encontradas nos pulmões dos animais foram compatíveis com o padrão de lesão pulmonar aguda. As alterações histológicas de padrão inespecífico não tiveram nenhuma correlação com o modo ventilatório. Este estudo demonstra que os modos ventilatórios estudados não influenciam as respostas dos enxertos pulmonares à lesão de isquemia reperfusão que se estabelece precocemente neste modelo experimental até 6 horas de reperfusão pulmonar pós-transplante unilateral.
Abstract The awareness of the risks and consequences involved in mechanical ventilation induced lung injury has yielded to the introduction of new standards and recommendations for its use. The influence of different ventilatory modes after lung transplantation has not been studied to date. This study compared two different ventilatory modes (pressure controlled-PCV versus volume controlled-VCV) and its effects on the functional outcome of lung grafts in a canine model of unilateral lung transplantation in which the donor lungs were harvested following 3 hours of cardio circulatory arrest. Fifteen size matched mongrel dogs were randomized into 2 groups: 8 dogs were allocated into the VCV group and 7 in the PCV group. Five animals did not finish the 6-hour post-transplant assessment. The remaining 10 animals (VCV and PCV groups respectively, n=5 each) were evaluated during 360 minutes after lung transplantation. The post-transplant performance of the grafts was evaluated by means of respiratory mechanics, gas exchange and lung graft histology. There were no significant differences in the respiratory mechanics variables studied, as well as in the gas exchange parameters over time. The histology features were representative of non-specific acute lung injury and similarly to the other parameters, were not different between the groups and did not correlate with the ventilatory mode utilized. The present study demonstrated that the ventilatory mode utilized in the post-transplant assessment in this animal model did not influence the post-reperfusion graft performance up to 6 hours following unilateral lung transplantation.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/3742
Arquivos Descrição Formato
000403717.pdf (3.321Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.