Repositório Digital

A- A A+

Associação entre os níveis plasmáticos de atazanavir e a função renal

.

Associação entre os níveis plasmáticos de atazanavir e a função renal

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Associação entre os níveis plasmáticos de atazanavir e a função renal
Autor Luz, Ana Júlia Bretanha
Orientador Sprinz, Eduardo
Data 2012
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Medicina: Ciências Médicas.
Assunto Anti-retrovirais
HIV
Rim
Testes de função renal
[en] Atazanavir
[en] Plasma concentration
[en] Renal function
Resumo A introdução da terapia antirretroviral altamente potente (HAART) diminuiu dramaticamente a mortalidade dos indivíduos infectados pelo HIV. No entanto, a variabilidade nas concentrações e o uso prolongado desses fármacos podem ter conseqüências relevantes na área da terapia antirretroviral (TARV). Dentre essas, têm-se observado alterações metabólicas e fatores de riscos cardiovasculares, como também, alterações na função renal. O rim tem um papel importante no metabolismo e excreção dos medicamentos antirretrovirais e isso torna-o vulnerável a vários tipos de lesões. Muitos estudos têm sido realizados para avaliar os fatores de risco que podem contribuir para a insuficiência renal em pacientes infectados pelo HIV.9 Esses fatores são numerosos e dependem de características subjacentes do paciente, bem como do regime de drogas. Alguns estudos têm ligado certos medicamentos antirretrovirais, especialmente o tenofovir (TDF) e os inibidores de protease (IPs) lopinavir / ritonavir (LPV / RTV), atazanavir / ritonavir (ATV / RTV) e indinavir (IDV), com redução na taxa de filtração glomerular estimada (eTFG) e anormalidades nos túbulos renais. As alterações nas concentrações plasmáticas dos antirretrovirais (ARV) podem ser suficientes para não ocorrer a manutenção da supressão viral e promover falência no tratamento, ou, por outro lado, gerar efeitos adversos. Portanto, torna-se necessário o desenvolvimento de estratégias específicas para minimizar as ocorrências dessas anormalidades e preservar a eficácia da TARV. Objetivo O objetivo deste trabalho foi avaliar a associação entre os níveis plasmáticos de ATV e a função renal em uma coorte de indivíduos infectados pelo HIV com doença controlada (carga viral indetectável e CD4 > 200/mm3). Métodos Cento e quatro pacientes foram consecutivamente selecionados no período de Abril a Novembro de 2011. Para inclusão no estudo, os pacientes deveriam estar em uso de ATV por no mínimo 6 meses, com carga viral indetectável ( < 50 cópias/ mL) por um período igual ou superior a 12 meses, com contagens de linfócitos T CD4+ superiores a 200 células/mm3 e com idade maior que 18 anos. Os indivíduos foram divididos em quatro grupos de tratamento de acordo com o esquema do ATV. As concentrações plasmáticas do ATV foram comparados com função renal utilizando o Modelo de Regressão Linear Simples. Resultados No grupo de tratamento com ATV não potenciado, as concentrações plasmáticas foram estatisticamente menores (p = 0,001) do que as concentrações encontradas em outros grupos. Nenhuma diferença estatística foi encontrada na função renal entre os grupos. Finalmente, não foi encontrada associação entre os níveis plasmáticos de ATV e função renal (CKD-EPI, p = 0,079; MDRD, p = 0,059). Conclusão De acordo com os achados deste estudo, os níveis plasmáticos do ATV não estão associados com alteração na função renal. Estudos prospectivos são necessários para que se observe com maior exatidão se a função renal alterada atribuída ao uso de ATV realmente existe ou se está relacionada com o uso de RTV, TDF, ou a outros fatores ainda não identificados.
Abstract Background The introduction of highly potent antiretroviral therapy (HAART) has dramatically decreased mortality rates of the subjects infected with HIV. However, the variability in concentrations and prolonged use of these drugs may have important consequences in the area of antiretroviral therapy (ART). Among these have been observed metabolic changes and cardiovascular risk factors, but also changes in renal function. The kidney plays an important role in the metabolism and excretion of antiretroviral drugs and that makes it vulnerable to various injuries. Many studies have been conducted to evaluate the risk factors that may contribute to renal failure in HIV-infected patients. Some studies have linked certain antiretroviral drugs, especially tenofovir (TDF) and protease inhibitors (PIs) lopinavir / ritonavir (LPV / RTV), atazanavir / ritonavir (ATV / RTV) and indinavir (IDV), reducing the estimated glomerular filtration rate (eGFR) and abnormalities in the renal tubules. Changes in plasma concentrations of antiretrovirals (ARVs) may not be sufficient to place the maintenance of viral suppression and failure to promote the treatment, or, on the other hand, have adverse effects. Therefore, it becomes necessary to develop specific strategies to minimize the occurrence of these abnormalities and to preserve the effectiveness of ART. Objective The purpose of this study is to assess the association between ATV plasma levels and renal function in a cohort of subjects infected with HIV whose disease is under control (undetectable viral load and CD4 > 200/mm3). Methods One hundred and four subjects were consecutively enrolled between April and November 2011. In order to be included in the study, patients had to be on ATV for at least six months, with undetectable viral load for a period equal to or longer than 12 months, with T CD4+ lymphocyte counts higher than 200 cells/mm3 and older than 18 years. Subjects were divided into four treatment groups according to ATV regimen. ATV plasma concentrations were compared with renal function using the Simple Linear Regression Model. Results In treatment group with ATV unboosted, the plasma concentrations were statistically smaller (p=0.001) than the concentrations found in the other groups. No statistical difference was found in renal function among the groups. Finally, no association was found between ATV plasma levels and renal function (CKD-EPI, p=0.079; MDRD, p=0.059). Conclusion According to the findings of this study, plasma levels of ATV are not associated with impaired renal function. Prospective studies with larger samples are required in order to more accurately observe if changes in renal function attributed to the use of ATV actually exist or if they are related to the use of RTV, TDF or other factors yet to be identified.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/37449
Arquivos Descrição Formato
000821966.pdf (683.7Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.