Repositório Digital

A- A A+

Mid amphibolite facies metamorphism of harzburgites in the Neoproterozoic Cerro Mantiqueiras Ophiolite, southernmost Brazil

.

Mid amphibolite facies metamorphism of harzburgites in the Neoproterozoic Cerro Mantiqueiras Ophiolite, southernmost Brazil

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Mid amphibolite facies metamorphism of harzburgites in the Neoproterozoic Cerro Mantiqueiras Ophiolite, southernmost Brazil
Autor Hartmann, Leo Afraneo
Chemale Junior, Farid
Abstract Valuable information is retrieved from the integrated investigation of the field relationships, microstructure and mineral compositions of harzburgites from the Neoproterozoic Cerro Mantiqueiras Ophiolite. This important tectonic marker of the geological evolution of southernmost Brazilian Shield was thoroughly serpentinized during progressive metamorphism, because the oldest mineral assemblage is: olivine + orthopyroxene + tremolite + chlorite + chromite. This M1 was stabilized in mid amphibolite facies – 550-600°C as calculated from mineral equilibria. No microstructural (e.g. ductile deformation of olivine or chromite) or compositional (e.g. mantle spinel) remnant of mantle history was identified. A metamorphic event M2 occurred in the low amphibolite facies along 100 m-wide shear zones, followed by intense serpentinization (M3) and narrow 1-3 m-wide shear zones (M4) containing asbestos.
Resumo O estudo integrado de relações geológicas, micro-estruturais e composição química de minerais resultou na obtenção de informações muito valiosas sobre a evolução dos harzburgitos do Ofiolito Cerro Mantiqueiras, de idade Neoproterozóica. Este importante marcador geotectônico da evolução geológica do extremo sul do Escudo Brasileiro foi serpentinizado de forma muito intensa durante um evento de metamorfismo progressivo, pois a assembléia mineralógica mais antiga observada é olivina + ortopiroxênio + tremolita + chlorita + cromita. Esta assembléia M1 foi estabilizada no fácies anfibolito médio – 550-600°C, conforme calculado a partir de equilíbrios mineralógicos. Não foram observadas feições mantélicas remanescentes, tanto micro-estruturais (e.g., deformação dúctil de olivina ou cromita) quanto composicionais (e.g., espinélio mantélico). Um evento metamórfico M2 ocorreu no fácies anfibolito inferior ao longo de uma zona de cisalhamento de 100mde largura, seguido por intensa serpentinização (M3) e formação de estreitas (1-3 m) zonas de cisalhamento (M4) contendo asbestos.
Contido em Anais da Academia Brasileira de Ciências. Vol. 75, n. 1 (2003), p. 109-128
Assunto Jazida cerro mantiqueira
Metamorfismo
Neoproterozoico
Química mineral
Rio Grande do Sul
[en] Cerro Mantiqueiras Ophiolite
[en] Metamorphism
[en] Mineral chemistry
[en] Neoproterozoic
Origem Nacional
Tipo Artigo de periódico
URI http://hdl.handle.net/10183/37596
Arquivos Descrição Formato
000353569.pdf (1.670Mb) Texto completo (inglês) Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.