Repositório Digital

A- A A+

Polymorphic variation of mononucleotide microsatellites in healthy humans and its implications for microsatellite instability screening

.

Polymorphic variation of mononucleotide microsatellites in healthy humans and its implications for microsatellite instability screening

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Polymorphic variation of mononucleotide microsatellites in healthy humans and its implications for microsatellite instability screening
Outro título Variação polimórfica de microssatélites mononucleotídicos em indivíduos normais e sua implicação no rastreamento de instabilidade de microssatélites
Autor Cossio, Silvia Liliana
Coura, Renata dos Santos
Bortolini, Maria Cátira
Giugliani, Roberto
Prolla, Patrícia Ashton
Prolla, João Carlos
Resumo Racional - No Brasil, o câncer colorretal é o sexto tumor em freqüência e o quinto em mortalidade. Marcadores moleculares têm sido associados com o prognóstico da doença, especialmente em relação à resposta terapêutica e taxa de sobrevida. Dentre eles, a instabilidade de microssatélites tem sido amplamente estudada. O estado de instabilidade de microssatélites é usualmente determinado pela comparação entre tecido tumoral e tecido normal correspondente de um mesmo paciente e a instabilidade se caracteriza pela diferença no perfi l do produto de amplifi cação por PCR destes tecidos em um determinado locus. Usualmente, é utilizado um painel de cinco marcadores para este propósito. Dois deles (BAT-25 e BAT-26) são considerados monomórfi cos em populações de origem européia. Objetivo - Analisar a freqüência de variação constitutiva nos loci BAT-25 e BAT-26 em amostra de indivíduos do sul do Brasil. Métodos - Duzentos e dezesseis indivíduos saudáveis e não relacionados foram analisados para determinar a freqüência de variação alélica nestes loci. O rastreamento de variantes alélicas foi feito por “polymerase chain reaction – single strand conformation polymorphism” (PCR-SSCP). Resultados - Observou-se possível variação alélica constitutiva em 7% e 6% dos pacientes nos loci BAT-25 e BAT-26, respectivamente. Conclusão - Estes resultados indicam que há signifi cativa variação alélica constitucional nos loci BAT-25 e BAT-26 em grupos selecionados, como nesta amostra de indivíduos brasileiros, e reforça a importância de estudos comparativos entre tecido tumoral e o tecido normal correspondente para identifi car instabilidade de microssatélites em populações determinadas.
Abstract Background - Colorectal cancer is the sixth most common tumor and the fi fth in mortality in Brazil. Molecular markers have been associated with disease prognosis, especially in relation to therapeutic response and overall survival rates. Among these, microsatellite instability has been extensively studied. Microsatellite stability status is usually determined by comparison of normal and tumoral tissues from the same patient and instability is characterized by the difference in the PCR-amplifi cation profi le of these tissues at a given locus. Usually, a panel of fi ve markers is used for this purpose. Two of them (BAT-25 and BAT-26) are considered monomorphic in populations of European origin. Aim - To analyse the frequency of constitutive polymorphic variation at BAT-25 and BAT-26 loci in a sample of individuals from Southern Brazil. Methods - Two-hundred and sixteen healthy and unrelated individuals were analised to assess the frequency of allelic variation at the BAT-25 and BAT-26 loci in DNA extracted from peripheral blood. Analysis was done by polymerase chain reaction – single strand conformation polymorphism (PCR-SSCP). Results - From the sample of patients studied, 7% and 6% of the patients had possible constitutive allelic variation at the BAT-25 and BAT-26 loci, respectively. Conclusions - These results indicate that signifi cant constitutive allelic variation of these loci does occur in heterogeneous populations such as ours, and reinforce the importance of comparative studies between tumoral and corresponding normal tissue to determine microsatellite stability status and correctly identify microsatellite instability in selected populations.
Contido em Arquivos de gastroenterologia = Archives of gastroenterology. São Paulo. Vol. 44, n. 1 (jan./mar. 2007), p. 64-67
Assunto Biomarcadores
Microssatélite
Polimorfismo genético
[en] Colorectal neoplasms
[en] Genomic instability
[en] Microsatellite repeats
[en] Polymorphism, genetic
[en] Tumor markers, biological
Origem Nacional
Tipo Artigo de periódico
URI http://hdl.handle.net/10183/38929
Arquivos Descrição Formato
000640725.pdf (124.2Kb) Texto completo (inglês) Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.