Repositório Digital

A- A A+

Estradas com revestimento primário: definição das deflexões admissíveis para o controle de compactação através de medidas de deslocamentos elásticos das camadas

.

Estradas com revestimento primário: definição das deflexões admissíveis para o controle de compactação através de medidas de deslocamentos elásticos das camadas

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Estradas com revestimento primário: definição das deflexões admissíveis para o controle de compactação através de medidas de deslocamentos elásticos das camadas
Autor Bittencourt, Ben-Hur Kummer
Orientador Nunez, Washington Peres
Co-orientador Nervis, Leandro Olivio
Data 2011
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Engenharia. Curso de Engenharia Civil.
Assunto Engenharia civil
Resumo Este trabalho trata da aplicação das deflexões admissíveis para o controle de compactação em estradas com revestimento primário, realizado através de medidas de deslocamentos elásticos com a utilização da viga Benkelman. As deflexões admissíveis foram obtidas através de uma abordagem mecanística do pavimento com o auxílio do software Everstress 5.0, utilizando os módulos de resiliência do subleito e da camada de revestimento primário. Os módulos de resiliência das camadas foram determinados em laboratório através da aplicação do ensaio triaxial de cargas repetidas em corpos-de-prova compactados na umidade ótima e com desvio de umidade de + ou - 2% em relação ao teor de umidade ótimo. Os resultados dos ensaios confirmam que os valores de módulo variam inversamente com a variação da umidade de compactação em relação à umidade ótima, ou seja, há um aumento do módulo de resiliência quando se diminui a umidade de compactação em relação à ótima e há uma diminuição no valor do módulo quando se aumenta a umidade, tomando como referência o módulo na umidade ótima. Comparando os resultados dos ensaios para o material do revestimento primário com modelos de materiais com classificação pedogenética semelhante a dos solos da região de ocorrência dos materiais em estudo é possível perceber que os valores obtidos nos ensaios são relativamente inferiores aos modelos encontrados na referida base de dados. Com este trabalho foi possível concluir que a adição da camada de revestimento primário, nas estruturas analisadas, contribui para o aumento das deflexões no pavimento, quando comparada com os valores obtidos no topo do subleito sem revestimento. Isso se deve ao fato de que o módulo do revestimento primário é menor que o módulo do subleito, o que faz com que as deflexões sejam comandadas pelo subleito. As deflexões admissíveis calculadas para o controle de compactação através das medidas de deslocamento elástico das camadas, com a utilização da viga Benkelman, não indicaram variação considerável com as condições de compactação avaliadas para o revestimento primário, o que se percebe é que as deflexões variam aparentemente de forma significativa apenas no ponto localizado abaixo da roda, no entanto essa informação não pode ser usada para medições com a viga Benkelman, uma vez que esta mede as deflexões no ponto localizado entre as rodas do semi-eixo padrão. Isso ocorre principalmente devido ao baixo valor do módulo de resiliência do material.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/39152
Arquivos Descrição Formato
000825192.pdf (3.190Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.