Repositório Digital

A- A A+

Estudo etiológico e patológico de pneumonias em javalis criados de forma confinada no estado do Rio Grande do Sul

.

Estudo etiológico e patológico de pneumonias em javalis criados de forma confinada no estado do Rio Grande do Sul

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Estudo etiológico e patológico de pneumonias em javalis criados de forma confinada no estado do Rio Grande do Sul
Outro título Etiological and pathological study of pneumonia in captive wild-boars in the state of Rio Grande do Sul
Autor Biondo, Natalha
Orientador Barcellos, David Emilio Santos Neves de
Data 2012
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Veterinária. Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias.
Assunto Confinamento : Método de criação
Javali
Mycoplasma hyopneumoniae
Pneumonia : Etiologia
[en] Captive wild-boar
[en] Lung consolidation
[en] M. hyopneumoniae
[en] Swine influenza virus
Resumo As doenças respiratórias são muito comuns na produção intensiva de suínos, já em javalis são escassas informações sobre prevalência, etiologia e apresentação clínico-patológica destas enfermidades. No entanto, a presença de patógenos respiratórios comuns entre javalis selvagens e confinados e suínos domésticos já foi relatada. Este trabalho descreve as principais lesões macroscópicas e histológicas de pneumonias de javalis e os agentes comumente envolvidos. Foram examinados pulmões de javalis, ao abate, provenientes de criatórios comerciais e a principal lesão macroscópica foi consolidação crânio-ventral dos lobos craniais e médios e lesões crônicas cursando com hiperplasia linfóide na histologia. O principal agente bacteriano detectado foi o Mycoplasma hyopneumoniae (58,6%). Outros patógenos bacterianos detectados foram Actinobacillus pleuropneumoniae (48,8%), Haemophilus parasuis (49,6%), Mycoplasma hyorhinis (41,3%), Pasteurella multocida (9,1%) e Streptococcus suis (9,1%). Na segunda parte do trabalho, a pesquisa de patógenos virais foi direcionada para o Vírus da influenza suína (VIS) com objetivo de estudar o envolvimento em pneumonias de javalis de criatórios e a relação com agentes bacterianos encontrados. O vírus pandêmico A/H1N1/2009 foi detectado em 18,3% (11/60) e sua identidade foi confirmada por sequenciamento. A carga viral para H1N1 clássico variou de 4,58 a 6275 cópias/μL e para o H1N1 pandêmico, de 4,65 a 3863 cópias/μL. Nenhuma amostra apresentou título viral após a inoculação em ovos embrionados. As lesões histológicas principais foram broncopneumonia crônica difusa e pneumonia intersticial mononuclear leve, além de hiperplasia linfóide. As amostras positivas por RT-PCR para o VIS para o pH1N1 foram testadas por IHQ, sendo todas negativas para influenza A, mas todas eram positivas para M. hyopneumoniae. Quando testadas por bacteriologia, 18,2% das amostras foram positivas para P. multocida. O estudo mostrou que as pneumonias em javalis de criatório apresentaram lesões e patógenos associados similares aos encontrados em suínos domésticos ao abate. Este é o primeiro relato da infecção pelo vírus pH1N1 em javalis no Brasil.
Abstract Respiratory diseases are very common in swine intensive production, although in wild-boars the knowledge of the prevalence, etiology and clinic-pathological presentation of these diseases are very limited. However, the presence of common respiratory pathogens among wild-boar, captive wild-boar and domestic pigs has been reported. This paper describes the main macroscopic and histologic pneumonic lesions of captive wild-boars and pathogens commonly involved. Captive wild-boar lungs at slaughter were examined and the main macroscopic lesion observed was cranio-ventral consolidation of cranial and middle lobes and chronic lesions associated with lymphoid hyperplasia by histology. The main bacterial pathogen detected was Mycoplasma hyopneumoniae (58.6%). Other bacterial pathogens detected were Actinobacillus pleuropneumoniae (48.8%), Haemophilus parasuis (49.6%), Mycoplasma hyorhinis (41.3%), Pasteurella multocida (9.1%) and Streptococcus suis (9.1%). In the second part of this work, the survey of viral pathogens was directed to swine influenza virus (SIV) in order to study the involvement in captive wild-boar pneumonias and the relation with bacterial pathogens. The A/H1N1/2009 pandemic virus was detected in 18.3% (11/60) and its identity was confirmed by sequencing. The classical H1N1 viral load ranged from 4.58 to 6275 copies/uL and the pandemic H1N1, from 4.65 to 3863 copies/uL. No samples had viral titers after inoculation in embryonated eggs. The main histological lesions were chronic diffuse bronchopneumonia and interstitial mononuclear pneumonia as well as mild lymphoid hyperplasia. Samples positive to pH1N1 were assayed by IHC for SIV, all with negative results, and to M. hyopneumoniae, all were positive. When assayed by bacteriology, 18.2% of samples were positive to P. multocida. This study showed that pneumonia in captive wild-boar had similar lesions and associated pathogens were similar to those found in domestic pigs at slaughter. This is the first report of pH1N1 virus infection in captive wild-boars in Brazil.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/40086
Arquivos Descrição Formato
000827187.pdf (771.6Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.