Repositório Digital

A- A A+

Essays on inflation and monetary policy

.

Essays on inflation and monetary policy

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Essays on inflation and monetary policy
Autor Machado, Vicente da Gama
Orientador Portugal, Marcelo Savino
Data 2011
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Ciências Econômicas. Programa de Pós-Graduação em Economia.
Assunto Brasil
Curva de Phillips
Desemprego
Econometria
Inflação
Modelo de previsão
Política monetária
[en] Adaptive learning
[en] Inflation persistence
[en] Optimal monetary policy
[en] Phillips curve
[en] Unobserved components models
Resumo Esta tese é composta de três artigos relacionados à política monetária e inflação e possuem em comum a ênfase na importância das expectativas tanto para o desenho da política monetária como para a dinâmica inflacionária. No primeiro ensaio, contribuímos para o debate sobre a resposta apropriada de política monetária a flutuações de preços de ativos em um contexto de aprendizagem adaptativa. O modelo conta com dois tipos de regras de juros instrumentais como em Bullard e Mitra (2002), porém com um papel adicional para preços de ativos. Do ponto de vista da E-Estabilidade, conclui-se que uma resposta a preços de ativos não é desejável nem com a regra que utiliza expectativas futuras nem com a regra que responde a valores contemporâneos. Crenças heterogêneas a respeito da dinâmica das flutuações de preços de ativos, inflação e hiato do produto são introduzidas. Também é avaliada uma regra de política monetária ótima que inclui um peso para os preços de ativos. De forma geral, conclui-se que o princípio de Taylor é relevante para todas as regras de juros analisadas e que os bancos centrais devem agir com cautela ao considerar a introdução de preços de ativos na política monetária. No segundo ensaio, oferecemos estimativas recentes de persistência inflacionária no Brasil, com uma abordagem multivariada de componentes não-observados, na qual são consideradas as seguintes fontes que impactam na persistência da inflação: desvios das expectativas da meta real de inflação; persistência dos fatores que provocam inflação; e termos defasados da inflação. Dados de inflação, produto e taxas de juros são decompostos em componentes não-observados e, para simplificar a estimativa de um número grande de variáveis desconhecidas, utilizamos análise bayesiana, seguindo Dossche e Everaert (2005). Os resultados indicam que a persistência baseada em expectativas tem grande participação na persistência inflacionária no Brasil, que tem diminuído nos últimos anos. Tal resultado implica que apenas as tradicionais fricções no ajuste de preços usadas nos modelos macroeconômicos não são suficientes para representar a real persistência da inflação. No último capítulo estimamos diversas curvas de Phillips reduzidas com dados brasileiros recentes, numa abordagem de séries de tempo com componentes não-observados, que se apresenta como alternativa às tradicionais estimativas, baseadas em métodos GMM, de curvas de Phillips Novo-Keynesianas (NKPC), que raramente foram bem sucedidas empiricamente. A decomposição em tendência, sazonalidade e ciclo oferece, através do resultado gráfico, interpretação econômica direta. Diferentemente de Harvey (2011), incluímos expectativas de inflação nas estimações, assim como na NKPC habitual. A inflação no Brasil parece ter respondido cada vez menos às medidas de atividade econômica consideradas. Isso consiste em evidência de achatamento da curva de Phillips no Brasil, o que significa por um lado custos de desinflação mais altos, mas por outro lado menores pressões inflacionárias derivadas de crescimento do produto.
Abstract This thesis is composed of three essays on monetary policy and inflation that share particular emphasis on the importance of expectations for both monetary policy design and inflation dynamics. First we contribute to the debate on the appropriate response of monetary policy to asset price fluctuations in an adaptive learning context. Our model accounts for two types of instrumental rules in the spirit of Bullard and Mitra (2002), but with an additional role for asset prices. From the point of view of EStability, we find that a response to stock prices is not desirable under both a forward expectations policy rule and an interest rate rule responding to contemporaneous values. Heterogeneous beliefs about the dynamics of asset price fluctuations, inflation and the output gap are introduced. We also evaluate an optimal monetary policy rule including a weight on asset prices. Overall we find that the Taylor principle remain important over all interest rate rules analysed and that central banks should remain cautious when considering the introduction of stock prices in monetary policy. In the second essay, we provide recent estimates of inflation persistence in Brazil in a multivariate framework of unobserved components, whereby we account for the following sources affecting inflation persistence: First, deviations of expectations from the actual policy target; second, persistence of the factors driving inflation; and third, lagged inflation terms. Data on inflation, output and interest rates are decomposed into unobserved components and to simplify the estimation of a great number of unknown variables, we utilize bayesian analysis as in Dossche and Everaert (2005). Our results indicate that expectations-based persistence matters considerably for inflation persistence in Brazil, which has experienced an overall decrease in the last few years. This finding implies that traditional price-setting frictions used in macroeconomic models are not enough to represent actual inflation persistence. In the last chapter we estimate alternative reduced-form Phillips curves with recent Brazilian data, using a framework of time series with unobserved components, as an alternative to traditional GMM estimations of the New Keynesian Phillips Curve (NKPC), which have seldom been empirically successful. The decomposition into trend, seasonal and cycle features offers, through the graphical output, straightforward economic interpretations. Differently from Harvey (2011), we allow for inflation expectations as in the usual NKPC. Inflation in Brazil seems to have responded gradually less to measures of economic activity in recent years. This provides some evidence of a flattening of the Phillips curve in Brazil, which means higher costs of disinflation on the one hand, but also lower inflationary pressures derived from output growth, on the other.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/40247
Arquivos Descrição Formato
000822395.pdf (1.164Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.