Repositório Digital

A- A A+

A negociação coletiva na definição dos planos de carreiras : estudo de caso da experiência do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE - Unidade de São Paulo

.

A negociação coletiva na definição dos planos de carreiras : estudo de caso da experiência do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE - Unidade de São Paulo

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título A negociação coletiva na definição dos planos de carreiras : estudo de caso da experiência do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE - Unidade de São Paulo
Autor Braga, Fausto Oliveira
Orientador Klering, Luis Roque
Data 2010
Nível Especialização
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Administração. Curso de Especialização em Negociação Coletiva a Distância.
Assunto Negociação coletiva
Plano de carreira
Resumo A pesquisa trata de um estudo de caso realizado no Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, com o objetivo de caracterizar o perfil dos servidores envolvidos com atividades de negociação coletiva e compreender a percepção que estes têm sobre os impactos de sua atuação nas mudanças no Plano de Carreira da Fundação. Tendo em vista que a Negociação Coletiva atualmente é uma ferramenta eficiente de gestão dos conflitos nas esferas pública e privada, e tem o papel de equilibrar as forças do empregado em relação ao empregador, objetivou-se compreender as suas possíveis contribuições no desenvolvimento do ambiente gerencial do IBGE em São Paulo, em relação às políticas inovadoras, especialmente no tocante à democratização do trabalho e dos processos de ensinoaprendizagem. Assim, a negociação coletiva de trabalho é um elemento importante que pode contribuir para o desafio da construção de uma administração pública, em especial no IBGE, que responda às demandas de seus servidores, tornando suas relações de trabalho mais coerentes com suas expectativas. Utilizou-se pesquisa qualitativa, de caráter exploratória e explicativa, sendo o estudo de caso a estratégia escolhida, tendo em vista que a abordagem é específica de uma situação que acontece em um determinado lugar e tempo. A população da pesquisa foi composta por 23 servidores da unidade do IBGE de São Paulo, que fazem parte da gestão do seu Sindicato, a ASSIBGE, ocupantes de cargos de nível médio e superior, que foram entrevistados por questionários. Também foi realizado estudo bibliográfico que auxiliou no suporte teórico da pesquisa, o que permitiu um maior entendimento sobre os conceitos de Negociação Coletiva. Os dados foram tratados estatisticamente e analisados, levando-se em consideração as características de cada servidor e seu ambiente de trabalho. Os resultados demonstram que os servidores entrevistados, em geral, têm percepções positivas sobre os impactos de sua atuação nas mudanças do Plano de Carreira do IBGE. No entanto, também demonstram pontos negativos, como as dificuldades de relacionamento do sindicato com a direção do IBGE e a valorização da participação nas reuniões. Os entrevistados demonstraram maior interesse nas melhorias salariais, do que em melhorias da qualidade de vida no ambiente institucional. A pesquisa também demonstrou que a maioria dos servidores envolvidos com o sindicato possui formação deficiente para participar com a devida qualidade de suas atividades, que sugere a aplicação de programa de qualificação.
Tipo Trabalho de conclusão de especialização
URI http://hdl.handle.net/10183/40332
Arquivos Descrição Formato
000795014.pdf (287.8Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.