Repositório Digital

A- A A+

O governo dos excessos : uma análise das práticas de prevenção e controle do excesso de peso realizadas por profissionais da Atenção Básica à Saúde, em Porto Alegre/RS

.

O governo dos excessos : uma análise das práticas de prevenção e controle do excesso de peso realizadas por profissionais da Atenção Básica à Saúde, em Porto Alegre/RS

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título O governo dos excessos : uma análise das práticas de prevenção e controle do excesso de peso realizadas por profissionais da Atenção Básica à Saúde, em Porto Alegre/RS
Autor Camargo, Tatiana Souza de
Orientador Souza, Nádia Geisa Silveira de
Data 2012
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Educação. Programa de Pós-Graduação em Educação.
Assunto Corpo
Estudos culturais
Saúde pública
[en] Body
[en] Cultural studies in education
[en] Public health
[en] Weight excess
Resumo Na última década, o Brasil liderou o ranking de consumo de medicamentos para emagrecer per capita, e, além disso, em 2009, foi o país que realizou o maior número de lipoaspirações. Instigada por estes surpreendentes e preocupantes dados brasileiros, nesta tese de doutorado busquei pensar acerca da temática do emagrecimento, da alimentação e dos cuidados de si em suas relações com a constituição dos corpo. Inicialmente, apresento a percepção de que, na atualidade, têm funcionado o dispositivo da aversão à gordura, isto é, uma rede heterogênea de elementos estrategicamente direcionados ao governo dos corpos, com a fnalidade de prevenir e controlar o excesso de peso. Partindo do entendimento que os discursos provenientes do campo das Ciências da Saúde, de certa forma, parecem estar envolvidos no funcionamento do dispositivo da aversão à gordura, procurei investigar como os profssionais das equipes da Estratégia de Saúde da Família (ESF), através de suas práticas de prevenção e controle do excesso de peso, relacionam-se com tal dispositivo. Para isso, realizei uma pesquisa de cunho etnográfco em práticas de promoção da saúde realizadas por profssionais de uma Unidade de Saúde (US). Foram acompanhadas as reuniões de um grupo de emagrecimento e as atividades vinculadas ao Programa Saúde na Escola realizadas por esses profssionais em uma Escola de Ensino Fundamental adscrita ao território desta US. Além do caderno de campo construído através da observação participante das atividades práticas mencionadas anteriormente, a análise também compreendeu alguns documentos ofciais brasileiros – Guia Alimentar para a População Brasileira, Manual Operacional para Profssionais da Saúde e Educação, Ciência Hoje na Escola – fornecidos como subsídios teóricos e/ou didáticos para as práticas de promoção da saúde formuladas e realizadas pelas equipes de ESF. A partir destas análises, aponto que os profssionais da equipe da US acompanhada, ao inscreverem suas práticas de promoção da saúde no dispositivo da aversão à gordura, através de sua abordagem focada na prevenção das doenças, da patologização do excesso de peso, do uso de técnicas de vigilância e do ensino de tecnologias de autocontrole, acabavam reforçando a estigmatização do excesso de peso e, talvez, agravando os sentimentos de desvalia e de insatisfação corporal experienciado por alguns participantes. Entendo que o movimento de pensar e problematizar a estigmatização do excesso de peso se faz necessário, especialmente para os profssionais da saúde pública envolvidos na formulação dos documentos ofciais, nas atividades de formação profssional e na realização das práticas de promoção da saúde. De forma que as práticas de promoção da saúde, realizadas por profssionais da ESF, possam contribuir para a discussão dos padrões estéticos e de saúde da atualidade; que não reforcem a estigmatização do excesso de peso; e que possam trazer subsídios para que os cuidados com a alimentação, o engajamento em atividades físicas, dentre outras atitudes de mudança de hábitos, sejam vivenciadas como atividades de múltiplas potências e não somente como um esforço de adaptação à norma estética/médica do corpo magro/saudável.
Abstract In the past decade, Brazil topped the consumption of diet drugs per capita, and also in 2009, was the country that held the largest number of liposuctions. Prompted by these surprising and worrying Brazilian data, this doctoral thesis sought to think about the topic of weight loss, nutrition and care of self in their relations with the constitution of the body. Initially, I present the perception that, nowadays, functions the dispositive of the culture of aversion to fat, that is, a heterogeneous network of strategically targeted elements for the government of bodies, in order to prevent and control overweight. Based on the understanding that the discourses from Health Sciences, somehow, seem to be involved in the arrangements of the dispositive of the culture of aversion to fat, I looked for investigate how the professional teams of the Family Health Strategy (FHS) through their practices for prevention and control of overweight, are associated with such dispositive. For this, I performed a research using ethnographic tools in some practices of health promotion carried out by professionals from a Health Unit (HU). I followed the meetings of a group of weight loss and the activities related to the School Health Program conducted by these professionals in an Elementary School enrolled in this HU territory. In addition to the feld notebook built through participant observation of the practices mentioned above, the analysis also included some Brazilian offcial documents - Food Guide for the Brazilian Population, Operational Manual for Health and Education Professionals, Science in School Today - provided as theoretical and/or didactical support for health promotion practices formulated and carried out by FHS team. From this analysis, I point out that - through its focused approach in the prevention of disease, pathologisation of overweight, the use of surveillance techniques and the teaching self-control technologies - the professionals of the HU accompanied, by enrolling their health promotion practices in the dispositive of the culture of aversion to fat, ended up reinforcing the stigmatization of overweight, and perhaps exacerbating feelings of worthlessness and body dissatisfaction experienced by some participants. I understand that the movement to think and discuss the stigma of excess weight is necessary, especially for public health professionals involved in the formulation of offcial documents, activities, training and implementation of health promotion practices. In order that the practices of health promotion, conducted by professionals from FHS can contribute to the discussion of health and aesthetic standards of today; that do not reinforce the stigmatization of overweight; and that bring contributions which enable that care food, engaging in physical activity, among other attitudes of habits changing, could be experienced as multiple potentials activities – and not only as an effort of adaption to the aesthetic/medical standard of the lean/healthy body.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/40489
Arquivos Descrição Formato
000828934.pdf (2.184Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.