Repositório Digital

A- A A+

Promoção da saúde e atenção primária à saúde em Porto Alegre

.

Promoção da saúde e atenção primária à saúde em Porto Alegre

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Promoção da saúde e atenção primária à saúde em Porto Alegre
Autor Pinto, Maria Eugênia Bresolin
Orientador Stein, Airton Tetelbom
Co-orientador Harzheim, Erno
Data 2012
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia.
Assunto Atenção primária à saúde
Porto Alegre (RS)
Promoção da saúde
Resumo Em 2011, o governo brasileiro lançou o Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das DCNT (doenças crônicas não transmissíveis) no Brasil (2011-2022) que promove a abordagem integrada de fatores de risco modificáveis que ocorrem em combinação (tabagismo, álcool, inatividade física, alimentação não saudável e obesidade). Neste processo de mudança a Atenção Primária à Saúde (APS) tem um papel fundamental. No Sistema Único de Saúde (SUS), a Estratégia Saúde da Família tem uma cobertura elevada, entretanto a qualidade dos serviços, tanto tradicionais como da ESF, ainda está longe do desejável. Esta tese avaliou a cobertura de quatro práticas de promoção da saúde (orientação sobre parar de fumar, de ingerir bebidas alcoólicas, exercício físico, alimentação saudável), na visão dos usuários de serviços públicos de APS de Porto Alegre (no sul do Brasil) através de um estudo transversal de base populacional no período de julho de 2006 a agosto de 2007. O aconselhamento mais prevalente foi sobre alimentação saudável em 40,4% (IC95% 36,9 – 44), seguido de parar de fumar em 31,9% (IC95% 26,2 – 37,6) e exercício físico em 28,7% (IC95% 25,30 - 32,06). A prática menos realizada é a orientação sobre bebidas alcoólicas que ocorreu em apenas 8,1% (IC95% 5,7 – 10,6). Para avaliar a qualidade da APS foi utilizado o questionário PCATool- Brasil versão usuário adulto. Os resultados das análises ajustados pela Regressão de Poisson robusta demonstraram que os serviços de alto escore geral e essencial realizam mais as quatro práticas de promoção da saúde (p < 0,001). No entanto, mesmo estes serviços de alto escore ainda têm uma cobertura insuficiente na atuação com enfoque na promoção de saúde. Esta associação entre qualidade do serviço de APS, em relação aos atributos preconizados por Starfield, e a realização de práticas de promoção da saúde e prevenção pode apoiar os investimentos não apenas no numero de Equipes de Saúde da Família, mas também na qualificação dos serviços existentes para auxiliar que as metas do Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das DCNT sejam alcançadas. Esta qualificação deve ser com base nos atributos assim como na formação dos recursos humanos e na criação de redes de assistência. Ainda assim, faltam estudos no Brasil que definam os tipos de práticas de promoção da saúde que são realizadas e quais são mais eficientes para o nosso contexto sócio-demográfico-cultural. O conhecimento sobre os fatores de risco numa população, como a magnitude e as características dos indivíduos portadores, auxilia no planejamento de ações mais adequadas nos serviços de saúde. Em Porto Alegre, foi encontrada uma prevalência de sedentarismo de 21,3% (IC95% 19,5 – 23,2), 20,3% nas mulheres e 22,9% nos homens utilizando a versão curta do Internacional Physical Activity Questionnaire (IPAQ) para avaliar o nível de atividade física de adultos. No modelo ajustado pela Regressão de Poisson robusta, as características que estavam associadas ao sedentarismo foram: sexo masculino; indivíduos com mais de 60 anos; brancos; classe econômica A ou B; ter saúde auto referida ruim; e não ser freqüentador de serviços públicos de APS (p < 0,05). Dos sedentários que receberam orientação para a prática de atividade física, metade estava vinculada a um serviço de APS. No modelo ajustado, as características associadas foram: pertencentes às classes sociais C/D/E; não fumante; obesos; que referiram ter problema de saúde crônico; e estar vinculado aos serviços de alto escore de orientação para a APS (p < 0,05). A orientação para praticar exercícios ocorreu em 37,2 % (IC95% 27,4 - 47,1) dos 2536 adultos. Dos sedentários que receberam orientação para a prática de atividade física no modelo ajustado, as características associadas foram: pertencentes às classes sociais C/D/E; não fumante; obesos; que referiram ter problema de saúde crônico; e estar vinculado aos serviços de alto escore de orientação para a APS (p < 0,05). Estes achados ratificam que uma abordagem preventiva do sedentarismo vem ocorrendo mais, na APS de Porto Alegre, nos melhores serviços e naqueles indivíduos que realmente necessitam mais. A prevalência de sedentarismo encontrada foi baixa em relação a outros estudos que avaliam a atividade física durante os momentos de lazer. A orientação para a prática de exercícios para sedentários na APS vem ocorrendo mais nos melhores serviços e para indivíduos que mais necessitam. Os resultados desta tese demonstram que as práticas de promoção da saúde são mais frequentes nos serviços de saúde que apresentam mais qualificação em relação aos atributos de APS preconizados por Starfield que podem contribuir para resultados mais expressivos e duradouros na mudança de hábitos de vida deletérios da população brasileira.
Abstract In 2011, the Brazilian government launched the Strategic Action Plan for the Fight NCDs in Brazil (2011-2022) that promotes an integrated approach of modifiable risk factors in common to different diseases (smoking, alcohol, physical inactivity, unhealthy diet and obesity). In this process of change, the primary health care (PHC) has a key role. In the Unified Health System (SUS), the Family Health Strategy (ESF) already has a high coverage, however the quality of services is still far from desirable in both, traditional and ESF. The thesis has assessed the prevalence of four practices of health promotion and prevention (advice on stopping smoking, harmful alcohol drinking, physical activity, healthy eating) in Porto Alegre (southern Brazil) through a population-based cross-sectional study. A household survey was conducted in adult users of public PHC services that took place from July 2006 to August 2007. Advice of healthy eating (40,4% IC95% 36,9 – 44) was the most prevalent practice, followed by stop smoking in 31,9% (IC95% 26,2 – 37,6) and physical exercise in 28,7% (IC95% 25,3 - 32,1). The orientation held less was about harmful alcohol consume which occurred in only 8,1% (IC95% 5,7 – 10,6). The findings of this study demonstrate that the services of high general and essential scores on the PCATool-Brasil, conduct more of these four practices of health promotion and disease prevention (p < 0,001). Although the services with the best evaluation are below the ideal level of health promotion and disease prevention to the general population. The knowledge about risk factors in a population, the size and characteristics of individuals with it, assists in the planning of more convenient health services. In Porto Alegre was found a sedentarism prevalence of 21.3% (95% CI 19.5 to 23.2), 20.3% in females and 22.9% in men, using the short version of the International Physical Activity Questionnaire (IPAQ) to assess the level of physical activity in adults. After the adjusted analysis, the following characteristics were associated with sedentarism: male, with more than 60 years, whites, from high class (A/B), “bad” self reported health and not user of public PHC service (p < 0,05). The advice about exercise occurred in 37.2% (CI95% 27,4 - 47,1) adult ascribed to public PHC services. As to sedentary that received advice about exercise, half were linked to a PHC service. After the adjust analysis by Poisson robust regression, the characteristics associated were: social class C/D/E, no smoking, obese, that referred chronic health problems, and be linked to a health service with high general score for PHC (p < 0,05). The prevalence of sedentarism on general activity was lower compared to other studies that assess physical activity only during leisure time. The orientation of exercise for sedentary people in PHC has been occurring at better evaluated services and for individuals who need it most. The results also suggest that health promotion and prevention advice are direct associated with the quality of primary health care attributes held by the health services. In Brazil there are few studies that define the types of health promotion practices that are carried out and which are more efficient for our sociodemographic and culture scenery.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/49011
Arquivos Descrição Formato
000829059.pdf (5.376Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.