Repositório Digital

A- A A+

Análise dos componentes comportamentais do cruzamento pupal na borboleta Heliconius erato phyllis (Nymphalidae)

.

Análise dos componentes comportamentais do cruzamento pupal na borboleta Heliconius erato phyllis (Nymphalidae)

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Análise dos componentes comportamentais do cruzamento pupal na borboleta Heliconius erato phyllis (Nymphalidae)
Autor Giozza, Mariana Pereira
Orientador Araujo, Aldo Mellender de
Data 2011
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Biociências. Curso de Ciências Biológicas: Ênfase Ambiental: Bacharelado.
Assunto Comportamento animal
Heliconius erato phyllis
Resumo Heliconius erato phyllis apresenta duas estratégias sexuais: a cópula precedida de cortejo, onde a fêmea tem papel ativo na escolha do parceiro sexual; e o cruzamento pupal, onde os machos visitam a pupa fêmea aguardando que esta emerja para a realização da cópula. Esta estratégia pode ter surgido devido à monandria das fêmeas que, tornando-se receptivas ainda em pupa, geram uma intensa competição entre machos nessa época do desenvolvimento, seja por posição na pupa, ou pela cópula propriamente dita. Este trabalho analisa alguns componentes do comportamento dos machos da borboleta Heliconius erato phyllis, entre eles: inspeção e pouso sobre a pupa; mudança de estratégia sexual e se o tamanho da asa é um preditor de sucesso. Em um viveiro foram feitas observações diárias de aproximadamente 30 minutos em pares de pupas sexadas previamente, até a eclosão; sendo uma de cada sexo, e na presença de até 5 machos adultos. No total foram analisados 20 pares de pupas (n=40). As médias de inspeção e pouso por dia para pupas macho foram, respectivamente, 22,1 ± 28,2 e 2,1 ± 3,0 e para as pupas fêmeas foi de 33,5 ± 30,2 e 4,1 ± 5,3. As diferenças das médias não foram estatísticamente significantes; no entanto, o valor total de inspeções e pousos registrados foi significativamente maior em pupas fêmeas do que em pupas machos. Os dados apontam ainda para outros aspectos que indicam que machos adultos reconhecem preferencialmente pupas fêmeas. A não significância de alguns testes estatísticos pode estar relacionada ao pequeno tamanho amostral; porém os padrões observados são similares ao esperado devido ao conhecimento que se tem da fisiologia pupal (produção de feromônios pelas fêmeas).
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/49233
Arquivos Descrição Formato
000835799.pdf (1.700Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.